Notícias Placares ao vivo
Fluminense

Fluminense de Roger Machado é o mais forte dos últimos anos... mesmo tendo “pouco” a bola

19:57 BRT 10/06/2021
Red Bull Bragantino Fluminense Copa do Brasil 09 06 2021
O time vai alcançando ótimos resultados, mesmo sem encantar, e começa a subir de prateleira no futebol brasileiro

E o Fluminense, a cada dia que passa, vai dando mais mostras de sua força. Classificado às oitavas de final da Copa Libertadores, foi derrotado pelo RB Bragantino nesta última quarta-feira (9), mas venceu o confronto da Copa do Brasil no placar agregado e está também entre os 16 finalistas do torneio.

Muito disso passa pelo trabalho de Roger Machado. Contratado no início da temporada para, enfim, substituir Odair Hellmann, o treinador fez o Tricolor adquirir uma consistência que pouco vezes foi vista nas Laranjeiras nos últimos tempos. Uma defesa sólida, um meio de campo intenso e combativo e um Fred cada vez mais goleador.

Tendo surgido no Grêmio com um estilo de jogo propositivo e ofensivo, Roger passou longe de conseguir repetir o modelo nos outros clubes que passou, e em Palmeiras, Atlético-MG e Bahia, não montou o mesmo time envolvente que a torcida do Imortal se acostumou a ver. No Flu, mais experiente, fez o inverso: priorizou a defesa, entregou a posse de bola para os adversários e vai dando aos cariocas o melhor início de temporada dos últimos anos.

Com 38,4% de posse de bola na temporada - e isso inclui partidas contra pequenos no Campeonato Carioca -, segundo estatísticas da Opta Sports, o Fluminense de Roger Machado não se preocupa em ficar com a bola por mais tempo que o adversário: o time recupera a bola na maioria das vezes em seu campo de defesa e busca partir para o ataque muito rapidamente. Com Nino vivendo o melhor momento de sua carreira, a equipe tem um zagueiro com ótimo passe vertical. Luccas Claro, ao seu lado, é uma "barreira" e um dos melhores defensores do Brasil na atualidade.

Martinelli, no meio de campo, comanda as ações do time e encanta a torcida. Yago parece se multiplicar e aparece em todos os lugares, no ataque e na defesa. Somando isso a uma variedade de pontas velozes (Biel, Kayky, Luiz Henrique e Caio Paulista), um centroavante matador e Nenê e sua qualidade nas bolas paradas, o Tricolor não encanta com Roger, mas está cada vez mais eficiente.

O Fluminense não fez jogos brilhantes contra o RB Bragantino, mas marcou três gols e eliminou o time de Bragança Paulista. Foi a primeira vez que o clube eliminou um rival de Série A na Copa do Brasil desde 2015. Caiu em um grupo considerado complicado na Libertadores, mas matou no peito, bateu o River Plate na Argentina e terminou na primeira colocação. Jogou melhor que o São Paulo na estreia do Brasileirão e poderia ter vencido não fosse a experiência de Miranda, que desconcentrou Nenê em uma cobrança de pênalti.

Silenciosamente, o Tricolor, então, vai somando feitos e pouco a pouco se colocando na lista dos times a serem batidos no Brasil. É claro que ainda existe muito a melhorar: em jogos contra equipes menores, o time as vezes pouco consegue fazer, quando forçado a ficar mais com a bola, ao passo que a torcida também pede que certos jovens da base, como Metinho, André e Jefté, recebam mais minutos. Por enquanto, porém, Roger vai mostrando a que veio nas Laranjeiras. E os resultados não mentem.