Flamengo segue a receita do último campeão para sonhar mais alto com Libertadores

Comentários()
Tauan Ambrosio/Goal Brasil
Chegadas de Gabigol e Arrascaeta demonstram o poderio do Rubro-Negro, que estipula um novo recorde nacional de transferências

Header Tauan Ambrosio

Gabigol e Arrascaeta serão jogadores do Flamengo em 2019. O objetivo é claro: fazer com que o poderio financeiro seja refletido dentro de campo com títulos.

É o que o Flamengo precisa e o que a torcida exige. Ainda mais depois que a administração Bandeira de Mello deixou a casa em ordem financeiramente, embora tenha pecado em algumas decisões dentro do futebol. Foi exatamente a ausência de resultados à altura das expectativas geradas que fez Rodolfo Landim ganhar força para vencer o pleito realizado no final de 2018.

“Vamos dar tudo que podemos para colocar o Flamengo no ponto mais alto que ele merece estar e nunca mais sair”, disse em seu primeiro discurso na cadeira principal do clube. E neste mercado de transferências, o Rubro-Negro deixou de ser apenas um predador (em um sentido não pejorativo) de seus rivais cariocas – dos quais contratou nomes como Dourado, Arão e Vaz - para fazer isso a nível nacional.

Foi por isso que o Cruzeiro reagiu com surpresa e irritabilidade à investida por Arrascaeta. O meia uruguaio, um dos melhores de sua posição desde que chegou ao Brasil, em 2015, foi contratado em um acordo que vai custar  aproximadamente 18 milhões de euros (cerca de R$ 76,48 mi) ao Flamengo, superando Vitinho como contratação mais cara na história do Rubro-Negro e ultrapassando Carlos Tévez (que chegou por R$ 60,5 milhões ao Corinthians em 2005) para ser a maior transação do futebol brasileiro em todos os tempos.

Arrascaeta Cruzeiro Universidad de Chile Copa Libertadores 26042018Arrascaeta vai para o Fla na maior transferência do futebol brasileiro (Foto: Pedro Vilela/Getty Images)

Desde 2015, a partir da contratação de Paolo Guerrero, o Flamengo já gastou cerca de R$ 247,5 milhões. O objetivo principal é reconquistar a Libertadores, levantada pelo clube carioca uma única vez em 1981. A estratégia segue na direção do que fez o River Plate no caminho até o título em 2018, um triunfo que também veio na esteira de cerca de R$ 211 milhões na montagem de um elenco forte - e quebrou o recorde nacional de transferências na chegada de Lucas Pratto por aproximadamente R$ 45 milhões.

O Flamengo inicia 2019 tendo em seu elenco os últimos dois artilheiros de Campeonato Brasileiro (Henrique Dourado foi em 2017, ainda pelo Fluminense, e agora chega Gabigol, autor de 18 tentos pelo Santos no ano passado). A última vez que isso aconteceu foi justamente no auge histórico do clube (em 2008  clube já tinha Souza e contratou Josiel, mas este chegou à Gávea no decorrer da temporada). Quando iniciou o ano de 1982, no qual terminou campeão brasileiro, Zico havia sido o máximo goleador em 1980 e Nunes no ano seguinte. O Galinho de Quintino voltaria a estar no topo dos goleadores naquele 1982 do Brasileirão.

A expectativa não poderia ser maior para 2019, e Abel Braga terá inúmeras opções para montar o seu ataque em um time que em 2018 teve a segunda melhor defesa do Brasil (sofreu 46 gols, número superior apenas aos 42 do Internacional) e foi equipe que acumulou o maior número de confrontos sem ver a sua rede balançar (38) considerando todas as competições. Inicia o ano já com a obrigação de brigar por tudo, com preferência especial pela tão sonhada Libertadores.

Fechar