Notícias Placares ao vivo
Cicinho

EXCLUSIVO - Cicinho: "Não poderia substituir Dani Alves, na Rússia"

08:45 BRT 14/06/2018
Cicinho 13062018
O ex-lateral comentou também sobre diferenças entre a geração de 2006 e 2018 e titularidade no time canarinho

Após falar sobre a Champions League, Real Madrid e Roma  Cicinho comentou, com exclusividade para a Goal, sobre a expectativa para a Copa do Mundo, envolvendo a Seleção Brasileir.  A trajetória no time canarinho, a titularidade, que não veio em 2006, as possibilidades do elenco de 2018 na Rússia e os planos para o futuro são alguns dos temas abordados.

Confira:

Cicinho na Rússia? Quase...

Deixa isso para o pessoal que está na ativa ainda... (risos). O Cicinho já teve sua história nos clubes e na Seleção. Agora, estou me preparando para outra carreira. Quero seguir atuando no futebol, com algum cargo em clube ou dando palestras para contar um pouco da minha vida dentro e fora de campo. É algo que tenho vontade, que pode vir a acontecer em breve e estou empolgado para isso.

Dono da posição na Copa das Confederações, banco na Copa do Mundo

Essa decisão é sempre do treinador. Estamos falando do Cafu, um dos melhores da história na posição e recordista pela Seleção Brasileira. Eu vinha bem em 2005, mas ele também. O importante foi que tínhamos boas opções para todos os setores. Infelizmente, não conseguimos o título, mas era uma grande seleção em 2006.

Preparação como fator decisivo na campanha

Depois que perde, muitas coisas são levantadas. Pessoal fica procurando algo para justificar. Mas no futebol é assim e nem sempre vamos ganhar. A preparação de agora me parece muito boa, mas só lá dentro para saber a fundo. É um comissão técnica bem preparada, com jogadores experientes e que com certeza tem tudo para buscar esse título. Tem outros seleções de qualidade, mas o Brasil é um dos favoritos.

Otimismo para a Copa na Rússia

Tenho uma expectativa muito grande. Vejo o Brasil com reais chances de títulos e de buscar esse hexa. Respeitando a todos, pois temos outras grandes seleções envolvidas. Mas o Brasil sempre que entra é um dos favoritos. E por tudo que tem feito, esse favoritismo cresce ainda mais e nos deixa confiantes.

Reposição para Daniel Alves

O Daniel é uma unanimidade na posição e não tem como não sentir. Não só pelo futebol, mas pela liderança e experiência. Mas agora cabe ao Fagner e ao Danilo tentarem manter o mesmo nível e fazer uma boa Copa. Eu já via o Fagner como reserva imediato do Daniel, então creio que ele tem chances, respeitando a característica de cada um, de fazer uma boa Copa. Ele tem que ser o Fagner e esquecer o Daniel.