Exclusivo: antes de enfrentar o Barça, Michel revela história diferente do "humilde Neymar"

Comentários()
Instagram/@michelmacedo2ois
Lateral brasileiro do Las Palmas, que vai enfrentar o camisa 11 azul-grená neste domingo, fala sobre talento do rival

Ponto a ponto. Jogo a jogo. Em uma disputa emocionante, Barcelona e Real Madrid lutam pelo título de La Liga, e entram em campo neste domingo (14), ambos às 15h (de Brasília), sabendo que não podem errar.

Empatados em pontos, com o Barça liderando nos critérios de desempate, mas tendo um jogo a mais em relação ao Real, os rivais não podem nem pensar em tropeçar nesta tarde.

Os Blaugranas visitam o Las Palmas, 14º colocado, que não possui grandes aspirações em La Liga: já se livrou do rebaixamento e apenas cumpre tabela, mas visa terminar a competição de forma digna. Já os Merengues recebem o complicado Sevilla de Jorge Sampaoli, que está praticamente garantido na próxima Uefa Champions League, mas ainda não matematicamente, apesar da chance de ficar de fora do torneio ser mínima.

Os dois jogos prometem muito, no entanto, a tarefa mais fácil certamente é a do Barcelona. O time de Luis Enrique, afinal, tem o melhor ataque (108 gols), a terceira melhor defesa (34), o artilheiro (Lionel Messi, 35), o vice-goleador (Luis Suárez, 27) e o líder de assistências (Luis Suárez, 12) de La Liga. Além disso, anotou 20 tentos nos últimos cinco jogos e vive sequência de cinco vitórias seguidas.

Lionel Messi Barcelona Osasuna LaLiga 26042017

O Las Palmas, por sua vez, não vence há cinco partidas, sendo três derrotas consecutivas, incluindo uma goleada por 5 a 0 para o Atlético de Madrid em casa. O Barça, com seu mágico trio MSN, é o inegável favorito no confronto, mas precisa tomar cuidado para não tropeçar contra a equipe que começou muito bem e foi uma das sensações de La Liga, inclusive liderando a competição no início da temporada, antes de ter uma queda de produção na metade final.

O time mandante quer terminar o Campeonato Espanhol da melhor forma possível, e nada melhor que atrapalhar o Barcelona na briga pelo título. Para isso, Los Amarillos contam com Michel, lateral-direito brasileiro que é um dos destaques da equipe sendo importante defensivamente e fundamental no apoio ao ataque com gols e assistências.

Michel Macedo Las Palmas (Fotos: Getty Images)

Antes do duelo com o Barça, a Goal Brasil conversou com Michel, que falou sobre a temporada do Las Palmas e revelou uma história interessante sobre Neymar, seu adversário nesta tarde. Confira a primeira parte da entrevista exclusiva com o brasileiro:

O Las Palmas começou bem, surpreendendo, mas depois teve uma queda de rendimento. Ainda assim, não será rebaixado, nem chegou a correr risco disso, e vai terminar La Liga no meio da tabela. Como você avalia a temporada do clube?

"Nós começamos muito bem o campeonato. Fizemos uma boa temporada. Ainda faltam dois jogos e temos condições de fechar a temporada de uma forma melhor. Nós tivemos uma queda de rendimento nos últimos sete, oito jogos, e não conseguimos desempenhar o futebol que estávamos mostrando antes. O treinador ter falado que não ia ficar e alguns outros motivos atrapalharam o nosso time, mas nós temos condições de melhorar e vamos fazer de tudo para terminar a temporada como começamos. Começamos muito bem e queremos terminar muito bem."

Quais foram esses outros motivos que atrapalharam o time? E no início da temporada, quando vocês estavam muito bem, chegou a existir a esperança ou até a expectativa de uma campanha histórica, quem sabe pegando vaga na Liga Europa ou ficando entre os dez primeiros? Ou o foco sempre foi evitar o rebaixamento?

"Nós sempre tivemos o objetivo de permanecer na elite espanhola e depois de alcançar esse objetivo tentar chegar o mais longe possível. Tínhamos a expectativa de após evitar o rebaixamento, tentar subir o máximo possível, mas infelizmente não foi assim e o time caiu muito de rendimento. Eu acho que foi pela confiança, porque muita gente depositou confiança no nosso time, a cidade inteira nos apoiou, mas após conseguir o objetivo de permanecer na primeira divisão, o nosso time deu uma relaxada, e isso nos afetou muito."

Michel Lucas Hernandez Atletico Madrid Las Palmas 10012017 (Foto: JAVIER SORIANO/AFP/Getty)

"Nós relaxamos e agora se nota dentro de campo que a confiança que tínhamos dois meses atrás não é a mesma e não temos o mesmo foco de antes. Acho que muitos jogadores já perderam o foco, apesar de ainda não ter terminado o campeonato. Mas nós podemos e devemos terminar bem a temporada, de uma forma digna, com a cabeça erguida, e saber que fizemos um bom trabalho. Não conseguimos uma vaga na Liga Europa, mas evitamos o rebaixamento, que era o primeiro objetivo."

Você é titular absoluto na lateral-direita do Las Palmas, fez algumas ótimas partidas, marcou gols, deu assistências e foi um dos jogadores que mais atuou pelo time. Obviamente, sua temporada é muito boa, mas você a avalia como a melhor da sua carreira?

"Eu vejo como uma grande temporada. No ano passado, no Almería, na segunda divisão, não foi uma boa temporada não apenas para mim, mas para toda a equipe, porque lutamos para não cair para a terceira divisão. Neste ano, poder jogar La Liga, a primeira divisão, mais uma vez, enfrentando os melhores jogadores e times do mundo foi ótimo para mim. Essa temporada foi uma das melhores da minha carreira pelo fato de eu ter ajudado o time com assistências e ter sido muito regular."

Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar, Griezmann, Bale, Luis Suárez... Você já enfrentou grandes jogadores na Espanha. Qual deles mais te surpreendeu?

"Quem me surpreendeu muito mesmo, mas não dentro de campo, foi o Neymar, pela humildade dele. Ele é um dos maiores do mundo, excepcional. Em dois ou três anos vai ganhar o prêmio de melhor do mundo, mas tem uma humildade impressionante, que é a base de tudo. Quando a gente foi enfrentar o Barcelona no Camp Nou, no primeiro turno, nós perdemos por 5 a 0, e o Neymar nem jogou esse jogo, ele ficou no banco."

Michel Rafinha Barcelona Las Palmas 14012017 (Foto: UD Las Palmas/Divulgação)

"Quando acabou o jogo, eu estava saindo do campo e ele quem me chamou para conversar. A gente foi conversando saindo do campo, entramos no vestiário e ficamos conversando um tempão. Ele me deu a camisa dele, tirou foto comigo... Foi impressionante, ele é muito humilde, um grande jogador e uma grande pessoa."

Qual foi a resenha entre vocês?

"A gente falou mais sobre o jogo mesmo. Eu perguntei pra ele porque ele não jogou, ele disse que o nosso time era muito bom, mas que o Barcelona é muito forte no Camp Nou. A gente ficou falando sobre isso mesmo e depois tiramos uma foto. Mesmo sem me conhecer, ele quem foi me chamar para conversar, me tratou super bem, como se já me conhecesse antes e foi muito gente boa e humilde. Além do futebol, acho que a humildade faz ele crescer muito e ser querido por todos."

Fechar