Notícias Placares ao vivo
Manchester United

Ex-United diz que a queda do clube começou quando Giggs não foi escolhido como treinador

20:41 BRT 13/09/2018
Sir Alex Ferguson & Ryan Giggs - Manchester United
Na opinião de René Maulensteen, Sir Alex Ferguson deveria ter apontado o craque galês ao invés de Moyes

René Maulensteen trabalhava no Manchester United quando Sir Alex Ferguson ainda ditava as rédeas do clube, e acredita que os Red Devils estariam em uma situação muito melhor se, ao invés de terem substituído Ferguson por David Moyes na temporada 2013-14.

Segundo Maulensteen, ao invés de ter escolhido o seu compatriota escocês como sucessor, Ferguson deveria ter apontado Ryan Giggs, que vivia à época os seus últimos anos como jogador e já estudava para ser treinador, para o cargo. Giggs chegou a comandar interinamente o United após a demissão de Moyes, o que ajuda a explicar como o clube vermelho de Manchester ainda não conseguiu se reencontrar após a aposentadoria de Sir Alex.

Desde então, além de Moyes Louis van Gaal também não teve sucesso em Old Trafford e José Mourinho, treinador do clube em sua terceira temporada, enfrenta grandes críticas pela forma pragmática de sua equipe e a falta de resultados à altura da tradição dos Red Devils.

“No United existia estabilidade e continuidade. Ferguson, David Gill, os Glazers... funcionava como um relógio”, afirmou Maulensteen para o Evening Standard. “Então tinha uma outra forma de fazer as coisas, que basicamente era puxar alguém de dentro. Desta forma, Ferguson poderia ter administrado melhor a sua saída”.

Ferguson fez história em mais de 26 anos no comando do United (Foto: Getty Images)

“Ele poderia ter ido para os bastidores com o tempo, e ajudado nesta importante transição (...) Sabendo que Ryan Giggs estava investindo na carreira de treinador, estava tirando suas licenças e conhecia o United inteiramente: a cultura, identidade... ele sabe de tudo”, avaliou.

“Seria uma forma diferente, uma estratégia diferente, que eu acho que poderia ter funcionado”, disse o holandês, que apesar de reconhecer mérito no trabalho de José Mourinho não acredita que o método do português honra as tradições do clube.

“Ele organiza muito bem os times, sempre busca ter a certeza de que vai anular as forças adversárias e não entrega nada. Na frente, ele explora as fraquezas dos adversários (...) Olhando o que ele já fez como treinador, não dá pra bater nele. Cada treinador tem a sua própria identidade, mas é diferente do que estávamos acostumados com Sir Alex e acho que também é diferente na comparação com Pep Guardiola e Jurgen Klopp”.

José Mourinho, em crise no United (Foto: Getty Images)

“Eles acreditam em um elemento, que o futebol também precisa ser jogado para agradar ao púbico. Eles têm uma obrigação. As pessoas vem para  ver futebol, e pagam muito dinheiro”, concluiu.

Na atual temporada, o Manchester United ocupa apenas a décima posição após quatro rodadas disputadas. Neste sábado (15), os Red Devils viajam para enfrentarem o surpreendente Watford, está 100% e divide a liderança com Liverpool e Manchester City. Já Ryan Giggs está no comando da seleção galesa.