Espanhóis citam seis pontos para vexame da Argentina em amistoso

Comentários()
Denis Doyle/Getty Images
A goleada histórica por 6 a 1 teve chaves importantes que Jorge Sampaoli não pôde controlar

Surpresa para alguns, resultado natural para outros: a goleada da Espanha sobre a Argentina, na última terça-feira (27), segue movimentando a discussão no futebol mundial, já que o resultado, esse sim, ficará marcado por algum tempo. Sem Messi e Agüero, a equipe albiceleste ficou perdida frente à qualidade dos ibéricos, que venceram por um confortável 6 a 1.

O jornal espanhol Marca buscou elencar os motivos de um desfecho tão significativo para os espanhóis. Primeiramente, enalteceu a organização tática da Espanha: há 10 anos, o estilo de jogo dos hispânicos não muda, além dos grandes jogadores no elenco. Já na Argentina, por conta de problemas políticos, muitos jogadores emigram do país, tornando difícil a montagem de um esquema tático inovador.

As más atuações de jogadores como Higuaín, Mascherano e Banega também foram destacadas, num jogo sem Lionel Messi, levantando questionamentos sobre a capacidade técnica do elenco. Correndo contra o relógio, o diário sugere que seis vagas ainda estão em aberto para os 23 jogadores que irão ao Mundial da Rússia.

Jorge Sampaoli Argentina 27032018(Foto: Getty Images)

Nas dificuldades em montar um bom time, Jorge Sampaoli também leva parte da culpa pela humilhação da última partida. Apesar da pressão, o técnico ainda busca a sua lista definitiva dos componentes certos para viajar à Rússia, mas acaba tropeçando. Além do mais, o técnico já esperava por uma derrota no referido amistoso, dada a disparidade recente entre as duas seleções.

É claro, as ausências significativas de nomes como Agüero e Dybala também pesaram contra os hermanos, ao ponto do estreante Lautaro Martínez, sensação do futebol local, ter seu ingresso 'apressado' ao time principal da Argentina. O jogador do Racing e o meia Maximiliano Meza, especialmente, foram os pontos positivos para o torcedor em uma noite para esquecer.

Messi estará na Copa, mas fez muita falta ontem para sua equipe. O que se espera, é que durante o Mundial ele esteja em sua melhor fase e que o time possa ser redesenhado. Entretanto, é impossível ganhar outro Mundial “ao estilo Maradona” tendo como rivais a Espanha, a Alemanha e o Brasil, como ficou claro no duelo em Madrid.

Fechar