Espanha poderia ser eliminada da Copa do Mundo pelo "caso Villar"

Comentários()
Getty Images
A FIFA teria advertido à Federação Espanhola por uma carta que a interferência do governo espanhol poderia deixar a Fúria de fora da Copa

A FIFA advertiu por meio de uma carta à Federação Espanhola de Futebol que a interferência do governo espanhol no "caso Villar" pode deixar a seleção fora da próxima Copa do Mundo em 2018, de acordo com o jornal El País. 

O fato que teria desencadeado a 'raiva' da FIFA teria sido a proposta de repetir as eleições para a presidência da Federação Espanhola, promovida pelo Conselho Superior de Esportes. 

Essa interferência da CSD, de acordo com o regulamento que direciona o futebol, colocaria em risco a autoridade da própria Federação Espanhola, situação que está prevista nos estatutos da FIFA no artigo 13: "Cada membro deve administrar seus assuntos de forma independente e assegurar que não haverá interferência de terceiros em seus assuntos ". 

A Federação Espanhola de Futebol garante que a FIFA estava informada sobre a intervenção do Conselho Superior de Esportes, embora se espere que haja uma reunião para se tratar do teme e tentar conduzir a situação. 

Mariano Rajoy, presidente do governo, deixou claro que ele não acredita "no cenário da eliminação da Espanha": "Não vejo isso. Estou convencido de que a Espanha irá para a Copa do Mundo na Rússia e que vai ganhar". 

Sergio Ramos Spain 14112017Foto: Getty

Além disso, ele ressaltou que o documento da FIFA não é mais do que um pedido de audiência: "O ministro me disse que não recebeu nenhuma comunicação da FIFA, mas uma carta de pessoas da FIFA pedindo uma audiência" , disse ele em coletiva de imprensa. 

Após esta declaração, a Federação Espanhola de Futebol emitiu um comunicado oficial no qual assegura que, após o sorteio da Copa do Mundo, houve uma reunião com a FIFA, na qual expressou sua preocupação com a situação que atravessa o futebol espanhol: 

"Por ocasião do sorteio do Campeonato Mundial de Futebol de 2018, realizado em 1 de dezembro em Moscou, o presidente da Real Federação Espanhola de Futebol, Juan Luis Larrea e outros líderes da Federação realizaram várias reuniões com líderes da Fifa e da UEFA. 

Nestas reuniões, os representantes da FIFA e da UEFA mostraram uma grande preocupação com a situação que atravessa a Real Federação Espanhola de Futebol e manifestaram o seu maior interesse em ir para a Espanha e fazer, o mais rapidamente possível, uma reunião com as mais altas instâncias esportivas de nosso país, a fim de ter um conhecimento melhor e mais amplo do assunto. 

Felipe VI Angel Maria Villar Athletic Barcelona Copa del ReyFoto: Getty

A Real Federação Espanhola de Futebol levou essa preocupação para o Ministro da Educação, Cultura e Esporte e o Secretário de Estado do Desporto, enquanto aguarda a confirmação de uma data para celebrar a reunião acima mencionada. 

O desejo da Real Federação Espanhola de Futebol é que tudo volta ao normal, que tem sido o principal objetivo da atual equipe de gestão, assumindo que todos queremos que a equipe espanhola participe da Copa do Mundo de 2018, para a qual se classificou brilhantemente. 

Por último, lembrar de que o artigo 1º do Título Primeiro, no ponto 4, dos nossos Estatutos diz que "a Federação Real de Futebol Espanhola é afiliada à FIFA e à UEFA, cujos estatutos aceita e se compromete a cumprir" e em seu ponto C, afirma que a Real Federação Espanhola de Futebol está empenhada em "respeitar sempre os estatutos, regulamentos e decisões da FIFA e da UEFA".

Fechar