Em entrevista à revista, Ronaldo Fenômeno diz que Neymar precisa trabalhar questões disciplinares

Comentários()
Ex-jogador vê o atacante como maior esperança na Seleção, e analisa o que mudou pós 7 a 1

Lenda do futebol brasileiro, Ronaldo Fenôeno deu uma interessante entrevista à revista esportiva alemã Sport Bild. R9 afirmou que vê a situação de Neymar parecida a sua quando saiu do Barcelona, e disse que o atual camisa 10 da Seleção Brasileira precisa trabalhar as questões disciplinares.

Confira os principais trechos da entrevista de Ronaldo:

Neymar

"Neymar é um excelente jogador, nossa maior esperança e não acho que ele esteja sofrendo pressão de expectativa, a qual os jogadores costumam ser preparados para isso. Há algumas ações de indisciplina, cartões amarelos desnecessários no jogo, mas ele ainda é jovem e ainda não tem experiência absoluta. Ele certamente tem que trabalhar isso, ele se prejudica mais".

Neymar Paris Saint-Germain
(Foto: Getty Images)

Sobre a transferência de Neymar para o PSG

"Eu não conheço os detalhes, não sei o que está por trás da transferência, talvez tenha havido um problema com a presidência do Barcelona, como foi comido. A saída de Neymar do Barcelona tem muitos paralelos com a minha em 1997. Bem, fui para a Inter de Milão quando a liga italiana era muito mais forte do que a liga francesa hoje, mas estava preparado para esse tipo de desafio, que motiva o jogador".

2017-12-31 Cristiano Ronaldo
(Foto: Getty Images)

A eleição para o melhor do mundo

"Na minha geração, a competição era muito maior do que é agora, não querendo menosprezar Messi e Cristiano Ronaldo. Eles vão lutar pelo título de melhor do mundo nos próximos anos, mas no meu dia tinha Zidane, Rivaldo, Figo, eu e depois Ronaldinho, essa era uma geração que o status de melhor era muito mais difícil". 

A derrota para a Alemanha por 7 a 1 em 2014

"Foi um dos piores pesadelos para todos os brasileiros, mas a maneira como conseguiu marcar quatro gols em seis minutos, talvez anos depois, há uma explicação: falta de experiência". 

Tite Seleção Brasil treino 09 11 2017
(Foto: Pedro Martins / MoWA Press / Divulgação)

Como o 7 a 1 mudou o futebol brasileiro

"O Brasil é forte novamente, com Tite no comando da Seleção, há um certo padrão de jogo que a equipe mantém. Como comentarista de TV, sou membro de quase todos os amistosos e vejo um desenvolvimento, uma equipe compacta, uma unidade com motivação, jogando rápido. A Seleção recuperou o respeito e está jogando um excelente futebol novamente. A Alemanha é a número um na lista do ranking da Fifa e automaticamente, a favorita, seguida por Espanha e Brasil".

O melhor momento de sua carreira

"O título de campeão do mundo contra a Alemanha em 2002. Talvez não tenha sido o melhor campeonato em termos de performance, mas em termos do que eu podia fazer, a Copa do Mundo foi a melhor época da minha vida".

Ronaldo 2002
(Foto: Getty Images)

Sobre uma possível carreira na política, como Romário

"Fui comentado algumas vezes, mas não sinto o desejo de fazer isso, não está excluído, mas eu acho que já tenho um emprego político no futebol, sou um polítivo da bola, eu vivo para isso, é política também, mas não penso em conceder 100% na política".

Próximo artigo:
Messi coloca a primeira pedra de futuro centro de referência de tratamento contra o câncer
Próximo artigo:
Nem a chuva para a festa! Carreata por BH, buzinaço e muita alegria na celebração do hexa do Cruzeiro
Próximo artigo:
Dorival Júnior tem missão de blindar Lucas Paquetá em momento político conturbado do Fla
Próximo artigo:
Higuaín reclama de "abandono" da Juventus após chegada de Cristiano Ronaldo
Próximo artigo:
Ex-presidente do Real Madrid aposta em Hazard fora do Chelsea: "escravidão foi abolida há muito tempo"
Fechar