Eduardo Bandeira de Mello e mais sete pessoas são indiciadas por mortes no Ninho do Urubu

Comentários()
Reprodução TV
Os envolvidos são indiciados por homicídio doloso pela morte de 10 jovens no centro de treinamento

De acordo com o Globo Esporte, o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello e outros sete nomes foram indiciados pela Polícia Civil do Rio de Janeiro por homicídio doloso no caso dos 10 jovens que faleceram no incêndio no Ninho do Urubu, em 8 de fevereiro de 2019.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Acesse o DAZN e faça o teste por um mês grátis!

O inquérito foi assinado pelo delegado Márcio Petra. Além de Bandeira de Mello, o policial pede o indiciamento de engenheiros da empresa NHJ - responsável pela fabricação dos contêineres - e de engenheiros do Flamengo.

Na investigação, a polícia observou pelo menos 10 pontos que incriminam os responsáveis. Dentre eles estão: estrutura incompatível com o uso destinado; várias irregularidades estruturais e elétricas nos contêineres e o descumprimento da ordem de interdição do CT feita pelo Poder Público Municipal pela falta do Alvará de Funcionamento expedido pelo Corpo de Bombeiros.

Confira os indiciados no caso:

- Danilo da Silva Duarte, engenheiro da NHJ

- Edson Colman da Silva, técnico em refrigeração

- Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo

- Fábio Hilário da Silva, engenheiro da NHJ

- Luis Felipe Pondé, engenheiro do Flamengo

- Marcelo Sá, engenheiro do Flamengo

- Marcus Vinícius Medeiros, monitor do Flamengo

- Weslley Gimenes, engenheiro da NHJ

Fechar