Derrota da Inglaterra passa pela péssima exibição de Kane, Sterling e Ali

Comentários()
Getty Images
Nenhum dos principais jogadores de meio/ataque da seleção inglesa conseguiu levar perigo ao gol de Subasic

banner Copa 2018

Header Tauan Ambrosio

A expectativa em cima da Inglaterra era pouca antes do início do Mundial na Rússia, e exatamente por isso é preciso valorizar esta que é uma das melhores campanhas dos Três Leões nas Copas.

Exceção ao título de 1966, apenas em 1990 os inventores do futebol chegaram até as semifinais. Naquela oportunidade, com um time um pouco mais experiente, a queda foi nos pênaltis para a Alemanha – depois de empate em 1 a 1.

A equipe treinada por Gary Southgate foi a mais jovem a chegar tão longe pela Inglaterra. E embora tenha ido além do esperado, demonstrou vacilos que foram decisivos na derrota por 2 a 1 para a Croácia – um resultado finalizado na prorrogação. Principalmente no ataque.

Os ingleses começaram bem, com golaço de falta marcado por Trippier, aos 5 minutos, e depois voltariam a acertar a direção em finalizações apenas na prorrogação. Conseguiram criar algumas boas chances na intermediária, mas o excesso de escolhas equivocadas para finalizar no último terço foi decisivo.

Porque a situação poderia ser diferente se a Inglaterra tivesse feito o 2 a 0 antes dos croatas empatarem. Antes de Perisic igualar, a única finalização na direção do goleiro Pickford havia sido de Rebic ainda no primeiro tempo; depois, foram três até Mandzukic aparecer para fazer o gol da classificação. Ainda que mais desgastados pelas duas disputas de pênaltis nas oitavas e quartas, os croatas usaram cérebro e coração para baterem a força dos músculos ingleses.

Kane Inglaterra Copa do Mundo 11 07 2018Goleador desta Copa, com 6 gols, Kane não conseguiu levar perigo (Foto: Getty Images)
Vrsaljko Inglaterra Croácia Copa do Mundo 11 07 2018Vrsaljko salva a segunda (e última) finalização a gol inglesa (Foto: Getty Images)

A equipe de Southgate confiou demais na vitória por 1 a 0 e levou o castigo, mas a péssima exibição dos três principais nomes do ataque pesou demais. Dele Alli, Sterling e Harry Kane não levaram nenhum tipo de perigo. Tanto, que Subasic não precisou fazer nenhuma defesa - a sua única defesa foi em lance de impedimento.

Os ingleses chegaram mais longe do que o esperado. O saldo desta campanha - que ainda pode ser a melhor desde 1966 caso termine na terceira posição - é excelente e sua jovem equipe poderá chegar mais forte, experiente, em 2022. E dentre essa experiência adquirida, Dele Alli, Raheem Sterling e Harry Kane saberão que o Mundial não permite exibições tão apagadas nas fases mais decisivas.

Fechar