Deivid relembra final em 2003, vê Cruzeiro um pouco a frente e fala sobre Thiago Neves e Diego

Comentários()
Gabriel Lordello/Light Press/Cruzeiro
Ex-atacante atuou pelas duas equipes mas faturou a Copa do Brasil pelo time Celeste em 2003 contra o Rubro-Negro

Nascido e criado no Rio de Janeiro, Deivid nunca escondeu que seu time de infância é o Flamengo, mas bem antes de atuar no clube de coração, o ex-atacante se sagrou campeão da Copa do Brasil pelo Cruzeiro em cima do Rubro-Negro, em 2003. Naquela época, a equipe Celeste tinha uma verdadeira constelação e era favorita ao título.

Em entrevista exclusiva à Goal Brasil, o ex-camisa 9 relembrou o duelo daquele ano, que também foi divido em dois jogos, e afirmou que a equipe do Cruzeiro se sentia favorito ao título, que se confirmou no Mineirão.

"Pelo momento que a gente vivia na época a gente se sentia favorito. A gente tava jogando um futebol que estava convencendo e nos credenciava a isso. Mas o mais importante foi impor isso dentro do campo, conseguimos fazer respeitando o Flamengo. Nosso time vinha num embalo muito grande".

Gallery Only - Cruzeiro 2003
(Foto: Arquivo / Cruzeiro)

Na ocasião, Vanderlei Luxemburgo, que era treinador do Cruzeiro, havia pedido durante as palestras para a equipe segurar o Flamengo no Maracanã e levar a decisão para o Mineirão. Mas segundo Deivid, quando os atletas viram a escalação do Rubro-Negro sentiram que poderiam sair do Rio de Janeiro com a vantagem.

"A estratégia era essa(segurar o Flamengo), mas quando vimos que eles vinham com três zagueiros, nós percebemos que estavam respeitando muito a nossa equipe. O Luxa falava, vamos controlar o jogo nos quinte minutos, eu conheço bem aqui, eu cresci aqui dentro. A gente fez isso, depois começamos a atacar e fizemos o primeiro gol, a pressão virou ao contrário. Tomamos um gol no finalzinho que deixou a gente frustrado mas ainda assim foi um bom resultado".

Com a vantagem embaixo do braço, o Cruzeiro nem teve tempo se prender a ela no jogo da volta. Logo no primeiro minuto Deivid abriu o placar para complicar ainda mais a vida dos Rubro-Negros.

DEIVID CRUZEIRO
(Foto: Getty Images)

"Eu tive a felicidade de uma jogada com o Alex, que a gente sempre fazia, e no primeiro minuto abrir o placar, deu tranquilidade para a gente conseguir fazer o nosso jogo. Depois em 15 minutos fizemos mais dois e aí praticamente definimos a partida".

Além da Copa do Brasil, o Cruzeiro daquele ano faturou também o Campeonato Mineiro e o Brasileirão, a chamada tríplice coroa. Esse, talvez, tenha sido o ano mais vitorioso da história do clube e para Deivid o entrosamento dentro e fora de campo fez toda a diferença para formar o time tão vencedor.

"Nos conheciamos muito bem, dentro e fora de campo. O mais importante daquele grupo, além de jogar por música, de um entender a característica do outro, o mais importante era o fora de campo. Quando acabava os treinos saíamos, iamos comer açai perto da Toca, a gente conversava sobre os treinamentos fora do clube, sobre os jogos. Além de estar junto dentro de campo, estavamos juntos fora também".

Diferente de 2003, quando o time Cruzeirense era bem superior ao Rubro-Negro, este ano está bem equilibrado, as duas equipes se equivalem e vivem momentos parecidos na temporada. Mesmo assim, Deivid acredita que a equipe Celeste leva uma ligeira vantagem sobre o Flamengo.

Mano Menezes Cruzeiro Flamengo Brasileirao Serie A 16072017
(Foto: Light Press / Cruzeiro)

"Eu vejo um duelo muito equilibrado, mas acho que o Cruzeiro leva uma certa vantagem pelo Mano estar a mais tempo no cargo. Conhecer mais os atletas. O Rueda chegou agora, difícil implementar sua filosofia, o conceito de jogo em um mês. Ele é um cara estudioso, ele está acompanhando, estudando a equipe do Cruzeiro e acredito que ele vá colocar o melhor time em campo".

Durante a carreira, além de defender os dois clubes, Deivid também teve a oportunidade de atuar ao lado de dois jogadores que podem fazer a diferença na partida desta quinta-feira, Thiago Neves e Diego. Ele analisou a características dos dois e afirmou que não consegue escolher entre um ou outro.

Thiago Neves Palmeiras Cruzeiro Copa do Brasil 28062017
(Foto: Light Press / Cruzeiro)

"Eu joguei com os dois, com o Diego começando a carreira e joguei com o Thiago no meio da carreira, são dois jogadores de características diferentes. O Thiago é mais agudo, um cara que sabe fazer gols, de fazer mais gols, de entrar mais na área. O Diego é um jogador que pifa mais a bola, que cadencia mais o jogo. No meu time jogaria os dois com certeza. São dois grandes jogadores".

Diego Ribas Santos Flamengo Copa do Brasil 26072017
(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação)

Por fim, Deivid preferiu não palpitar sobre quem vai faturar a taça, mas deixou claro que torce para que seja um grande jogo de futebol.

"Não tenho palpite até porque eu tenho um carinho pelos dois clubes. Joguei pelos dois e fui muito feliz nos dois. Quando você vira profissional você torce para o bom futebol, que vença o melhor. Eu acredito que vai ser um grande jogo, torço por isso, para que os dois times joguem de uma forma que á prender a gente".

Flamengo e Cruzeiro se encaram nesta quinta-feira(7), às 21h45, no Maracanã. A partida é válida pelo primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil.

Próximo artigo:
Brasil no Sul-Americano Sub-20: elenco, destaques, comissão técnica e agenda de jogos
Próximo artigo:
Malcom segue insistindo em seguir no Barcelona, apesar do interesse do futebol chinês
Próximo artigo:
Barcelona 3 x 0 Levante: Barça joga com força máxima, reverte placar e avança na Copa do Rei
Próximo artigo:
Liverpool renova com Andrew Robertson por cinco anos
Próximo artigo:
Hernanes desfalca o São Paulo na estreia do time no Paulistão
Fechar