Declaração de VP de finanças do Flamengo sobre Rogério Ceni gera desconforto

Última atualização
Getty Images

Em meio a crise neste início de Campeonato Brasileiro, o Flamengo optou, antes mesmo da derrota para o Atlético-MG, seguir com o técnico Rogério Ceni no comando da equipe. Depois do revés no Mineirão, no entanto, a pressão no treinador ficou ainda maior e muitos torcedores fizeram campanha por sua saída nas redes sociais. 

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Na última quinta-feira (08), alguns rumores deram conta de que quem estava segurando a permanência de Rogério Ceni no comando do Flamengo, seria o departamento financeiro, comandado pelo vice-presidente Rodrigo Tostes. O fato deixou o dirigente extremamente irritado ao ponto de vir a público negar qualquer influência na decisão de manter o comandante. 

"Esclareço que as decisões referentes à área de futebol, apesar de precisarem estar em conformidade com a responsabilidade financeira do clube, são tomadas pelo departamento de futebol. Cabe somente ao departamento analisar a situação e apresentar suas recomendações à presidência", disse Tostes. 

A situação causou desconforto interno. Há quem acredite que não havia qualquer necessidade do dirigente vir a público e jogar a "responsabilidade" para cima do departamento de futebol. Além disso, o técnico Rogério Ceni não ficou satisfeito. 

O staff do treinador, inclusive, acredita que há um movimento interno, com vazamento de informações, com único intuito de minar seu trabalho e forçar seu pedido de demissão do clube. Algo que, pelo menos por enquanto, está descartado. 

É em meio a este clima que o Flamengo encara a Chapecoense, no próximo domingo (11), no Maracanã. Depois disso, o time Rubro-Negro viaja para a Argentina, onde abre as oitavas de final da Copa Libertadores, diante do Defensa y Justicia, no dia (14). Um revés contra a Chapecoense, em casa, pode ser o fim da linha para o técnico que agora depende apenas dos resultados para se manter no clube.