Decepção? Os matadores de Minas ainda não mataram ninguém em 2018

Comentários()
Montagem Goal Brasil com fotos de Sergio Roberto Oliveira/Light Press/Cruzeiro e Bruno Cantini/Atlético-MG
Ricardo Oliveira e Fred não possuem bons números e decepcionam por Atlético-MG e Cruzeiro no início da temporada

Dois dos grandes centroavantes do futebol brasileiro nos últimos anos, Fred e Ricardo Oliveira são as grandes esperanças de gols dos rivais mineiros em 2018.

Em uma transferência polêmica, na qual o Cruzeiro precisará pagar uma multa de R$ 10 milhões ao Atlético-MG, Fred voltou ao time celeste para ser o camisa 9 do clube estrelado no ano em que a equipe volta a disputar a Copa Libertadores. Já Ricardo Oliveira chegou ao Galo como uma opção mais barata, apesar da experiência e qualidade, para substituir o artilheiro alvinegro na última temporada.

A expectativa era que ambos marcassem gols e mais gols por suas equipes, principalmente no início de temporada, contra os adversários fracos e limitados do Campeonato Mineiro. No entanto, não tem sido assim. Ainda se entrosando em suas equipes, os dois centroavantes têm enfrentado dificuldades para balançar as redes. Os matadores não estão matando ninguém.

Fred Cruzeiro Tupi Mineiro 17012018(Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

É bem verdade que Fred foi importante no último fim de semana, marcando um dos gols da vitória por 2 a 1 sobre o Tombense, fora de casa, que manteve a Raposa na liderança do Estadual, empatada em pontos com o América-MG, mas levando vantagem nos critérios de desempate. Com o tento, o atacante superou "apenas" Ronaldo Fenômeno na lista de maiores artilheiros da história estrelada.

Fred tem 57 gols em 75 jogos, enquanto Ronaldo soma 56 tentos em 58 partidas, entre 1993 e 1994, considerando embates por competições e amistosos.

Antes disso, porém, o camisa 9 sofreu para marcar e passou em branco contra Tupi, Caldense e Uberlândia, inclusive perdendo algumas chances incríveis de gols. Não à toa, Fred, artilheiro do Estadual em 2017, neste ano sequer é o goleador principal de sua equipe, vendo o meia Rafinha, com quatro bolas nas redes, liderar a estatística no clube e no torneio.

GFX Fred Cruzeiro Campeonato Mineiro

Do lado alvinegro, Ricardo Oliveira se movimenta muito, abre espaços para os companheiros e é importante no jogo ofensivo do time de Oswaldo de Oliveira, mas a verdade é que ele tem sido pouco efetivo. Apesar de importante, ele finalizou pouquíssimas vezes para um centroavante, não marcou gols e desperdiçou algumas interessantes jogadas atleticanas.

Vale destacar, porém, que o ex-santista fez apenas dois jogos com o Galo, que tem uma equipe totalmente diferente de 2017 e, com o rodízio entre reservas e titulares no Estadual, ainda tenta encontrar sua melhor forma e o entrosamento ideal.

GFX Ricardo Oliveira Atlético-MG Campeonato Mineiro

É natural que Fred e Ricardo Oliveira encontrem dificuldades em novas equipes para mostrar o melhor nível e o futebol esperado, afinal, ainda estão se entrosando e é apenas o começo do ano. Os dois também são veteranos e tiveram pouco tempo de pré-temporada em clubes novos e com companheiros diferentes dos últimos anos. A expectativa é que ambos tenham melhor rendimento e cresçam com o tempo. No entanto, é inegável que, atualmente, os dois centroavantes dos rivais mineiros decepcionam na temporada.

Próximo artigo:
Corinthians no Mercado: Quem chega, quem sai e quais as prioridades para 2019?
Próximo artigo:
Torcida do Vasco inunda internet de xingamentos a Dedé após vitória sobre o Volta Redonda
Próximo artigo:
Flamengo no Mercado: Quem chega, quem sai e quais as prioridades para 2019?
Próximo artigo:
FIFA 19: Vinícius Junior, Arthur e Militão listados nas Estrelas do Futuro do Ultimate Team
Próximo artigo:
Iniciando sua quinta temporada no Palmeiras, Dudu reencontra adversário de sua estreia com status de ídolo
Fechar