Notícias Placares ao vivo
Palmeiras

Da juventude de Carille a experiência de Felipão! Técnico do Palmeiras se torna o mais velho a conquistar o Brasileirão

21:01 BRST 25/11/2018
Felipão - Palmeiras - 25/11/2018
Scolari superou desconfiança de parte da torcida e da imprensa e aumentou ainda mais o seu currículo já vitorioso no clube alviverde

Muitos pensaram que depois de Fábio Carille, então com 44 anos, ter levado o Corinthians ao título do Campeonato Brasileiro de 2017, a juventude tomaria conta do cenário de treinadores e fecharia espaço para profissionais mais experientes. Um ano depois, porém, Luiz Felipe Scolari recoloca os mais “velhinhos” no topo ao levar o Palmeiras ao decacampeonato brasileiro.

Com o título, inclusive, Felipão, que completou 70 anos no dia 9 de novembro, passa a ser agora o treinador mais velho a conquistar o Brasileirão, superando Antônio Lopes, que, em 2005, levantou a taça à frente do Corinthians aos 64 anos.


(Foto: Bruna Prado/Getty Images)

Do seu retorno ao Verdão até a confirmação da conquista nacional, contudo, Felipão precisou superar a desconfiança de parte da torcida e da imprensa. Assim que foi anunciado como o substituto de Roger Machado, muitos se perguntaram se o “treinador do 7 a 1” e dos altos e baixos em 2012 pelo clube alviverde seria capaz de repetir o sucesso do penta com o Brasil em 2002 e o da sua primeira passagem pelo Palmeiras, quando conquistou, entre outros títulos, a Libertadores de 1999.

"Quando a gente terminou a Copa, a gente sabia perfeitamente que é normal que um resultado como aquele marque a vida do técnico, marque a vida de uma seleção como a nossa. Mas nós sabemos que a seleção que foi campeã em 2002 também tem muito mais valor do que aquele resultado, que foi uma desclassificação. As pessoas acham que aquilo vai ficar marcado para o resto da minha vida, mas não vai ficar. Eu sei discernir o momento bom do momento ruim", desabafou em entrevista coletiva após o título.

Fato é que depois do 7 a 1, ocorrido em 8 de agosto de 2014, houve uma grande cobrança por uma reciclagem dos comandantes veteranos e para que se desse mais espaço para profissionais mais jovens. O sucesso de Carille no maior rival do Palmeiras acabou entusiasmando ainda mais os clubes a apostar no tal “sangue novo”, inclusive o próprio Verdão. No entanto, o mundo da bola muda mais rápido do que se imagina.


(Foto: NELSON ALMEIDA/AFP/Getty)

Antecessor de Felipão, Roger Machado tem 43 anos. O mesmo caminho tomado pelo Verdão, inclusive, foi sendo feito com o passar das rodadas por outras equipes. Vice-líder, o Flamengo trocou Maurício Barbieri (37) por Dorival Júnior (56). Rival do Verdão, o Santos demitiu Jair Ventura (39), hoje no Corinthians, para trazer Cuca (55), enquanto o Atlético-MG dispensou Thiago Larghi (38) e hoje está sendo comandado por Levir Culpi (65).

Em resumo, hoje há um misto entre novatos e veteranos. Algumas equipes seguem apostando em jovens casos de Corinthians (Jair Ventura), Botafogo (Zé Ricardo), Vasco (Alberto Valentim) e Internacional (Odair Hellmann). Do outro lado, ainda se destacam Fluminense (Marcelo Oliveira), Cruzeiro (Mano Menezes) e Grêmio (Renato Gaúcho).

Pouco menos de quatro meses após iniciar sua terceira passagem pelo Verdão, Scolari conseguiu com sucesso fazer um rodízio no elenco, algo mantido mesmo após as eliminações na Copa do Brasil e na Libertadores, deu segurança defensiva ao time e continuou com um ataque efetivo.

Como resultado, o Verdão arrancou sob o seu comando no Brasileirão, bateu o recorde de invencibilidade (21 jogos) e é campeão com três rodadas de antecedência.