Conheça a Jamaica, adversária do Brasil na 1ª rodada do Mundial Feminino

Comentários()
Ronald Martinez
Primeira adversária do Brasil na Copa, Jamaica perdeu apenas duas partidas nas eliminatórias para o Mundial

A Seleção Brasileira entrará em campo neste domingo (09), às 10h (Brasília), contra a Jamaica na estreia da Copa do Mundo Feminina. Sem a capitã Marta que se recupera de uma lesão muscular, o Brasil terá pela frente o time de pior colocação do ranking geral da Fifa entre as 24 equipes que disputam o Mundial.

Ainda assim, as histórias do time jamaicano o colocam entre os primeiros no quesito de superação. Confira alguns detalhes das rivais brasileira na Copa do Mundo da França:


Classificação à Copa do Mundo


A Jamaica conquistou vaga para a Copa do Mundo após o terceiro lugar no Campeonato Concacaf. O time derrotou o Panamá por 4 a 2, em outubro de 2018, na decisão pela medalha de bronze.

Aldrith Quintero Chinyelu Asher Panama Jamaica Concacaf women's
(Foto: Ronald Martinez)

Ao longo da fase eliminatória, o time caribenho perdeu apenas duas vezes para o Canadá por 2 a 0, e 6 a 0, para os Estados Unidos. Ao todo, marcou 53 gols e sofreu 14.


Estilo de jogo


Comandada por Hue Menzies, a equipe é conhecida pela velocidade em campo. Agora, com o retorno do atacante Trudi Carter de uma lesão, o time ganhará ainda mais velocidade no setor ofensivo.

Já a defesa, apesar da goleada para os EUA, mostrou ser “dura na queda” durante as eliminatórias. As zagueiras ainda costumam ser as principais atletas nos lançamentos do time.

Mais artigos abaixo

Treinador


Hue Menzies, nasceu na Inglaterra e cresceu na Jamaica antes de se mudar para os Estados Unidos, em 1980. O técnico que comandou equipes do futebol feminino infantil na Flórida, foi apresentado ao programa de futebol nacional de mulheres na Jamaica por recomendação do embaixador do futebol feminino do país, Cedella Marley, em 2014, e desde então está presente no futebol jamaicano.


Principal atleta


Khadija Bunny Shaw se destaca graças a velocidade e a tática demonstrada em campo. Jogadora da seleção desde a categoria do Sub-15, ainda disputou jogos com as equipes do Sub-17 e Sub-20.

Desde os 14 anos atuando com a equipe nacional, estreou pela seleção principal em 23 de agosto de 2015 e contribuiu com um gol na vitória por 6 a 0 sobre a República Dominicana.

Em 2018, Shaw ganhou o prêmio do jornal The Guardian, o “Guardian Footballer of the Year”, entregue a atletas que já fizeram algo realmente notável, seja superando adversidades ou ajudando ao próximo.

Fechar