Como a Ligue 1 francesa assumiu divida bilionária para ajudar clubes durante a crise

Última atualização

Pelo menos uma boa notícia para os times franceses neste período de pandemia: depois da Ligue 1 ser encerrada, a Federação Francesa de Futebol acertou um empréstimo de R$ 1.3 bilhões, cujo valor será destinado aos clubes do país.

De acordo com o L'Equipe, a razão do empréstimo é para os clubes não saírem perdendo após as competições serem encerradas: os valores servem para suprir a lacuna dos direitos televisivos que não serão pagos após a paralisação.

A ajuda, que será destinada a equipes das duas primeiras divisões da França, não recairá sobre os clubes no futuro: a entidade também assumiu o compromisso de pagar o empréstimo.

2019-12-12 Neymar Mbappe

Trata-se de um programa, chamado PGE, criado pelo governo federal para ajudar negócios que sofrem para pagar suas contas durante a pandemia. Os valores serão 90% garantidos pelo estado e a dívida gerada não terá parcelas no primeiro ano. Quem aderir terá a possibilidade de repagar o empréstimo imediatamente, ao término deste primeiro ano, ou de estendê-lo por cinco anos.

Mais artigos abaixo

Outros 30 clubes já pretendem usar esse mesmo programa para não correrem riscos maiores: até o PSG já estuda utilizar o PGE. Os valores que serão pagos aproximam-se dos que estavam combinados nos direitos de televisão.

Juntando tudo, os clubes deveriam ter recebido R$ 1.6 bilhões de direitos de transmissão, mas só foram pagos cerca de R$ 287 milhões. Assim, juntando isso com o valor do empréstimo, as equipes da Ligue 1 e da Ligue 2 não sairão no prejuízo, pelo menos neste aspecto.