Notícias Placares ao vivo
Cruzeiro

Com Rogério Ceni, Thiago Neves decidiu como não vinha fazendo no Cruzeiro

06:00 BRT 19/08/2019
Thiago Neves Cruzeiro URT Campeonato Mineiro 07032018
O meia-atacante foi o grande destaque individual na vitória sobre o Santos, atingindo números que não conseguia sob o comando de Mano Menezes em 2019

Thiago Neves foi o grande destaque da vitória por 1 a 0 do Cruzeiro sobre o Santos, líder do Brasileirão, na 15ª rodada. Na estreia de Rogério Ceni como treinador da Raposa, o camisa 10 teve o seu melhor desempenho no ano, demonstrando também o quanto boa parte da péssima sequência recente do time mineiro encontrou uma de suas tantas justificativas na queda do meia.

Claro que também é importante destacar que o Santos atuou praticamente o jogo todo com menos um, já que o zagueiro Gustavo Henrique foi expulso logo aos quatro minutos. Mas pela primeira vez em muito tempo, o torcedor cruzeirense ficou empolgado com uma postura mais ofensiva da equipe. Sob o comando de Mano Menezes, o time foi bicampeão da Copa do Brasil, mas em 2019 enfrentava uma grave crise técnica – que incluiu o maior jejum de gols na história do clube, eliminação na Libertadores, um péssimo início de Brasileirão e consequente saída de Mano.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

Sob o comando de Ceni, a Raposa bateu seu recorde de finalizações a gol [9] no Brasileirão e poderia ter feito mais do que os 2 a 0. Dentro das quatro linhas, Thiago Neves e Fred foram os protagonistas: o primeiro serviu o segundo, que abriu o placar e acabou com um jejum de 16 partidas sem gols; depois, o centroavante retribuiu o favor para o camisa 10.

Mais próximo da área, Thiago Neves dominou as ações em campo e deixou o gramado como melhor da partida. Considerando Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão, o meia de 34 anos rendeu como ainda não havia rendido nesta temporada: na estreia de Rogério Ceni, atingiu seus maiores números de toques na bola [81], passes que terminaram no terço-final [28] e em todo o Mineirão [67], em finalizações totais [8] e a na direção do gol [4]. Pela primeira vez neste ano, em uma única partida contribuiu com assistência e também balançando as redes.

Não à toa, o discurso elogiando o que Ceni conseguiu fazer em poucos dias após a saída de Mano esteve presente nas palavras de Thiago Neves: “É assim que o torcedor quer ver o Cruzeiro e é assim que a gente quer jogar também. Na hora de marcar, todo mundo sabe que tem que marcar. Parabéns a todo mundo pela partida. O mais importante são os três pontos que nos ajudam a sair lá de baixo”, disse. O novo treinador também não poupou elogios ao seu camisa 10.

“Joguei muitas vezes contra o Thiago Neves, sei da capacidade dele de decidir jogos. Quando está próximo ao gol, faz a diferença. Sabe armar, sabe vir pra trás, sabe deixar o colega na cara do gol. Só disse que eu preciso dele, o Cruzeiro precisa dele pra sair desse momento. Ele vai carregar esse peso e essa cobrança sempre, mas só carregam essa cobrança os diferentes. Se ele tiver com a cabeça boa e centrada, vai sempre fazer a diferença”, disse.

O Cruzeiro precisava de um Thiago Neves mais influente, atuante e decisivo. Precisava, também, mostrar o potencial e viés ofensivo que estão na característica do elenco. Contra o Santos, conseguiu.

document.write('');