Com despedida programada, Lucas Veríssimo literalmente dá o sangue para levar o Santos à final da Libertadores

Mesmo com grande sagramento na cabeça, zagueiro continua em campo durante toda a partida para ajudar o Peixe a atropelar o Boca Juniors

Um dos grandes destaques do Santos ao longo da temporada, Lucas Veríssimo acertou sua transferência ao Benfica, de Portugal, no último dia 4 de janeiro. E com sua despedida já programada, o zagueiro literalmente teve que dar o sangue para levar o Peixe à grande final da Libertadores de 2020. 

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O Santos não tomou conhecimento do Boca Juniors. Com mais uma atuação gigante dentro da Vila Belmiro, o Peixe derrotou os argentinos por 3 a 0 para garantir seu lugar na final da Libertadores da América, ao lado do Palmeiras, na decisão mais brasileira da história do torneio. Mas apesar da vitória histórica, nem tudo foi fácil para os jogadores do Santos, especialmente para Lucas Veríssimo. 

Após uma longa novela envolvendo sua transferência, o zagueiro foi vendido ao Benfica, no último dia 4 de janeiro, e é esperado em Portugal após o final da Libertadores. E se engana quem pensa que o defensor iria se poupar em alguma partida do Santos, visando chegar bem em seu novo clube.

Ainda no primeiro tempo, Lucas Veríssimo se chocou com Soldano em disputa aérea e teve um enorme sangramento na cabeça. As imagens fortes colocavam em cheque o retorno do zagueiro para a partida, mas a dúvida durou pouco tempo. 

Lucas Veríssimo Santos Boca Juniors Libertadores 13 01 2021 Foto: Getty Images

Fora de campo, o camisa 4 colocou a tradicional touca de natação para estancar o sangramento e correu para limpar seu uniforme, brigando com o quarto árbitro para voltar à partida o quanto antes. Após alguns minutos, ele já estava dentro de campo disputando novas bolas de cabeça.

O corte foi tão profundo que, antes mesmo de a primeira etapa terminar, o sangue estava novamente escorrendo por seu rosto, mesmo com a ajuda dos curativos e da touca de natação. Então, no intervalo de jogo, Lucas Veríssimo tomou quatro pontos na cabeça para poder retornar para o segundo tempo.

Dentro de campo, ele seguiu ganhando todas as jogadas e foi um dos destaques defensivos do Santos, enquanto Marinho e Soteldo comandavam a equipe no ataque. Com o jogo de ontem (13), o zagueiro chegou a 25 partidas de Libertadores com a camisa do Santos, igualando Neymar e Edu Dracena para entrar no top-10 de jogadores que mais vezes defenderam o Peixe na competição.

Mesmo vendido e com despedida já programada, Lucas Veríssimo literalmente deu o sangue para levar o Santos à tão sonhada final da Libertadores da América. E para qualquer jogador, nada melhor do que se despedir com um título de tamanha expressão.

Fechar