Clima de provocação toma conta do Estádio Olímpico antes de Alemanha x Brasil

Comentários()
Bruno Andrade / Goal Brasil
Alemães não perdem a oportunidade de recordarem o histórico 7 a 1 sempre que avistam um brasileiro em Berlim

Avistar um brasileiro nos arredores do Estádio Olímpico antes do reencontro entre Alemanha e Brasil é motivo de sorrisos e até mesmo piadas por parte dos alemães. Quase sempre em tom respeitoso, os anfitriões não têm perdido a oportunidade de recordarem a histórica goleada por 7 a 1 na semifinal da Copa do Mundo de 2014.

No início da tarde desta terça-feira, a Goal pôde dar uma volta no entorno do palco do amistoso marcado para 15h45 (horário de Brasília) e também conversar com torcedores dos dois lados. O clima de provocação, como já era esperado, tem tomado conta do pré-jogo.

"É a primeira vez que tenho a chance de tirar sarro de um grande número de brasileiros ao mesmo tempo. Mas faço isso de forma cordial, sem criar qualquer tipo de polêmica ou crise. Identifico um brasileiro e logo digo: '7 a 1'. A maioria leva na brincadeira, mas também percebo que alguns olham com cara feia. O problema é deles [risos]", ironiza o alemão Michael Heinze (na foto), fanático pelo Wolfsburg.

"Eu gosto muito do Brasil, então espero que o resultado de hoje seja diferente daquele de quatro anos atrás. Não também quero que a derrota da Alemanha, é óbvio, então vou ficar feliz com um empate. Acho que está de bom tamanho para todos, não?", completou.

Mais artigos abaixo

Apesar das várias gozações, a torcida brasileira em Berlim mantém-se tranquila nos minutos que antecedem o confronto, principalmente porque confia num triunfo da equipe comandada por Tite.

"Faz parte ouvir as piadinhas, até porque o que aconteceu naquele jogo em Belo Horizonte vai ficar marcado para sempre. Seremos sempre alvos de brincadeiras, não adianta brigar contra isso. Felizmente, o Brasil mudou bastante desde a mudança de treinador, e, hoje, é favorito diante de uma Alemanha repleta de caras novas", destacou Plínio Fernandes, estudante paulista de intercâmbio em Munique.

"Mais uma vez vamos enfrentar a Alemanha sem o Neymar, mas agora, com Tite, o cenário é completamente diferente. O time cresceu e vem jogando muito bem. Espero uma vitória por no mínimo 3 a 0, mas sei que não vai ser fácil", complementou o também estudante Caio Martins, natural do Rio de Janeiro.
 

Próximo artigo:
"Não estava sabendo da situação financeira do Santos", diz Sampaoli, incomodado no cargo
Próximo artigo:
Semifinais da Copa da Liga Inglesa: como e quando assistir
Próximo artigo:
Atlético se acerta com Morata, mas precisa abrir espaço no elenco; Impasse atrasa Higuain no Chelsea
Próximo artigo:
Agente de Militão confirma negociação com Real Madrid, mas descarta saída em janeiro
Próximo artigo:
Willian diz que não recebeu proposta formal do Barcelona e opina sobre caso Bielsa: "Um pouco antiético"
Fechar