Cinco Estrelas: Dedé e Arrascaeta já!

Comentários()
Dede Cruzeiro Vasco 04042018 Copa Libertadores
Pedro Vilela/Getty
"Mano Menezes que me desculpe, mas nos últimos jogos algumas coisas mostraram que não funcionam. E que a dupla agrega ao time titular do Cruzeiro"


Por João Henrique Castro


Ele está de volta! Com atuações convincentes e um desempenho seguro nas ocasiões em que esteve em campo, Dedé tem sido uma das grandes novidades de 2018 no Cruzeiro.

Embora Léo e Murilo tenham se apresentado em alto nível durante a disputa da Copa do Brasil e do segundo turno do Brasileirão em 2017, a dupla não tem conseguido manter o nível durante este ano. 

Nos dois jogos mais importantes da temporada, aliás, a dupla falhou consideravelmente e a defesa celeste sofreu sete gols somadas as duas ocasiões. A maior parte deles em jogadas pelo alto, justamente um dos pontos altos de Dedé e um dos calcanhares de aquiles do Cruzeiro neste ano.

Dede Leo time Cruzeiro Vasco 04042018 Copa Libertadores (Foto: © Gualter Naves/Light Press)

Longe de achar que Murilo ou Léo não servem para a Raposa, a reflexão necessária me parece outra. Dedé, em plenas condições, tem que ser titular da equipe. Afinal de contas, com ele o time ganha força pelo alto, tanto ofensiva como defensivamente, e um zagueiro mais vigoroso, veloz e com boa saída de bola.

No jogo contra o Vasco, inclusive, Dedé foi um dos melhores em campo. Principal ameaça ao time vascaíno nos cruzamentos de escanteio e seguro no alívio das cobranças rivais, Dedé foi também uma das peças das ligações diretas que buscaram Sassá na segunda etapa com relativa precisão.

Tudo bem que a jogada não funcionou, muito em função da inoperância do meio campo, mas por ali o Cruzeiro conseguia ter ao menos uma alternativa de jogo. E, tirando uma estabalhoada no fim da partida, Dedé teve atuação bastante consistente.

De Arrascaeta Paulao Cruzeiro Vasco 04042018 Copa Libertadores (Foto: © Gualter Naves/Light Press)

Uma outra mudança importante no Cruzeiro parece ser a efetivação de Arrascaeta como titular. Um dos artilheiros do time no ano, mesmo com ausência para servir a seleção e raramente atuando os 90 minutos, o uruguaio tem sido uma das poucas peças do ataque a funcionar de forma mais ou menos regular nos últimos jogos.

Também contra o Vasco, o uruguaio participou das principais jogadas, especialmente no primeiro tempo. É bem verdade, no entanto, que o meia cinco estrelas por vezes peca na conclusão das jogadas. Mas sua capacidade criativa é, nitidamente, mais destacada que a de Rafinha e mesmo que a de Robinho.

Normalmente me contento em observar e respeitar as decisões do treinador por entender que quem participa da dinâmica dos treinos e tem acesso aos relatórios de fisiologia é ele. Mas Mano Menezes que me desculpe, mas nos últimos jogos algumas coisas mostraram que não funcionam. E destacou-se, por exemplo, como Dedé e Arrascaeta agregam ao time titular. E é para já!

João Henrique Castro é professor, historiador e, obviamente, cruzeirense. Daqueles que sabe que nada brilha mais no céu do que as cinco estrelas que traz no peito.

Fechar