Notícias Placares ao vivo
Paulista A1

Carille aponta questão física em derrota do Timão e diz: "Precisamos trabalhar bastante"

00:39 BRST 18/01/2018
Angel Romero Corinthians Ponte Preta Paulista 17012018
Técnico evita fazer comparações com o time do ano passado

O técnico Fábio Carille apontou a questão física como um dos fatores que pesaram na derrota do Corinthians para a Ponte Preta por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (17), no Pacaembu, pela estreia do Campeonato Paulista.

A equipe Alvinegra ficou com um jogador a mais durante quase toda a etapa complementar, mas não conseguiu reverter o placar.

"A gente sabia das dificuldades, no início vai ser assim mesmo a parte física. Ficamos com um jogador a mais, e a Ponte fez duas linhas de quatro. É mais fácil se defender do que propor o jogo neste início de temporada. Mas a gente vai tentar melhorar no próximo jogo", disse Carille.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva do treinador do Corinthians:

O que gostou e o que falta ao time

"Gostei do compromisso com a organização. Até o gol que tomamos estávamos bem posicionados. O Saraiva foi muito feliz na finalização. Mas fiquei feliz com a organização, é o que fica de ponto positivo. E o negativo é a parte física. Melhorando, a parte técnica melhora junto".


(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Sem comparações com o time de 2017

"Não dá para comparar o fim de um campeonato com o início do ano, após férias. Você vê que o passe não é no pé, como eu cobro. É difícil fazer comparações com o time campeão brasileiro para esse, com jogadores chegando. Temos que trabalhar bastante, para que depois o conjunto apareça.

Sobre o desempenho de Kazim

"É muito cedo ainda. Na questão técnica, tem muitos jogadores abaixo, não foi só o Kazim. Está dentro da normalidade por conta da época do ano. A partir de amanhã começamos a pensar no jogo de domingo".

Sobre Guilherme Romão e comparações com os rivais

"Ele (Guilherme) não vai cair em pilha. Sobre outras equipes, não tenho com o que me preocupar. Ano passado também teve isso, muita gente contratando e a gente quietinho. Cada um tem sua situação financeira, eu sei qual é a do Corinthians. Deixei claro que não chegaria cereja do bolo e não vai chegar até a eleição de 3 de fevereiro. Tenho que blindar esses meninos, são jovens, e não é fácil jogar no Corinthians. Tenho que estar ao lado deles".

O Corinthians volta a campo no próximo domingo, quando enfrenta o São Caetano fora de casa pela segunda rodada do Campeonato Paulista.