Notícias Placares ao vivo
Copa do Mundo

Capitão e técnico da Suécia sobre chance de eliminar a Alemanha da Copa: “Excelente oportunidade de causar impacto no mundo”

13:04 BRT 22/06/2018
Granqvist e Janne Andersson - Suécia - 21/06/2018
Granqvist e Janne Andersson mostraram confiança em conseguir resultado que já classificaria a seleção escandinava para as oitavas de final

A Suécia pode garantir sua classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo se conseguir vencer a Alemanha neste sábado (23), às 15h (de Brasília), no Estádio Olímpico de Fisht, em Sochi. Um triunfo escandinavo, inclusive, poderá significar a eliminação da atual campeã do mundo, que, na estreia, perdeu para o México.

Em entrevista coletiva na véspera do confronto, o técnico Janne Andersson e o capitão Andreas Granqvist mostraram confiança no triunfo.

“É muito legal, a segunda partida no grupo, a Alemanha é favorita, por isso seria muito bom se pudéssemos vencer. Ninguém esperava isso (...) Nós jogamos partidas nos nossos clubes e nosso grupo tem entrosamento de dois anos, além das eliminatórias. E amanhã vamos jogar contra um time melhor no papel, mas vamos tentar de todos os jeitos vencer”, afirmou o defensor.

“É para isso que trabalhamos toda a vida e estamos ansiosos para sábado. Estamos prontos para causar um impacto na Copa do Mundo. Podemos nos classificar com o resultado do jogo de amanhã e isso é sensacional. Nós também temos experiência jogando partidas importantes, como nas eliminatórias. Experiência é feita jogo a jogo. Mostramos que podemos suportar a pressão”, endossou o comandante.


(Foto: Getty Images)

“Nós analisamos a última partida deles e os últimos jogos deles também. Temos uma boa noção de como eles jogam. Não acho que só o último jogo diz muito sobre eles. Todo o trabalho foi feito analisando todas as nuances. Temos uma boa figura do que vamos enfrentar da Alemanha amanhã”, acrescentou Andersson.

O treinador, no entanto, achou exagerada a brincadeira de um repórter sueco, que, na véspera, entregou a Khedira uma passagem de volta à Alemanha depois do jogo.

"Quem fez isso foi um pouco exagerado. Estamos cientes de que a Copa do Mundo é difícil, não há atalhos dentro dela", finalizou.