Notícias Placares ao vivo
Juventus

Buffon recusa faixa de capitão e camisa 1 em retorno à Juventus: "acho que usarei a 77"

15:55 BRT 04/07/2019
Gianluigi Buffon Pavel Nedved
Goleiro quer manter braçadeira de capitão com o zagueiro Giorgio Chiellini e deixar a camisa 1 com o polonês Szczęsny, titular na temporada passada

Gianluigi Buffon vive seu primeiro dia na Juventus pela segunda vez na carreira. A volta oficial depois de um ano no PSG veio no decorrer desta tarde e suas palavras como "novo bianconero" também chegaram.

Quer ver jogos da Juventus no Campeonato Italiano ao vivo ou quando quiser? Acesse o DAZN e teste grátis o serviço por um mês!

Paralelamente à inauguração da nova loja da Juventus em Milão, o goleiro afirmou que não vai retomar a braçadeira de capitão de Chiellini ou mesmo a camisa 1 de Wojciech Szczęsny, apesar de ambos terem proposto. Ele vestirá a camisa 77, que ele também mostrou oficialmente em sua apresentação.

"Szczesny quis me devolver o número 1 e Chiellini a braçadeira de capitão, mas não estou aqui para tirar nada de ninguém. Estou aqui para dar. Vou me orgulhar de ter um capitão como Giorgio, que é como um irmão. Pensei na camisa número 77, que eu tinha no Parma. Depois daquele ano fui para a Juve", afirmou.

Buffon contou todos os seus sentimentos e as razões que o levaram a retornar, em primeiro lugar o desejo de voltar a viver emoções fortes.

"Estou feliz e empolgado, apesar dos quase 42 anos. Essa foi a melhor escolha, porque eu estava à procura de emoções fortes. A Juve é minha casa, se estou aqui, tenho que agradecer a todos. Espero ter satisfação das pessoas que considero como irmãos. A escolha pode parecer pouco inclinada para o que eu sou, mas a motivação é o que eu disse há um mês: jogar mais um ano tentando algumas emoções fortes", comentou.

Depois de um ano em Paris, ele encontra uma Juve diferente, com Maurizio Sarri no banco e com Cristiano Ronaldo em campo, além de um novo centro de treinamento na Continuna.

"O Sarri nós conhecemos, ele deixou uma excelente impressão [no Napoli e no Chelsea]. Jogar com Cristiano [Ronaldo] é lindo. Eu joguei com Neymar e Mbappé, agora eu jogo com o Ronaldo. Ainda não falei com ele como companheiro. Deixei uma Juve muito forte e a encontrei ainda mais forte. Vendo o local hoje, encontrei um mundo de cabeça para baixo na evolução positiva. Aqueles que lideram a Juve têm ideias claras", concluiu.