Borja se entrega em campo e recebe elogios de Cuca após duelo contra o Cruzeiro

Comentários()
Alexandre Schneider/Getty
Atacante colombiano entra no segundo tempo, mostra muita vontade e participa diretamente dos dois gols, recebendo elogios do treinador

O Palmeiras levou um grande susto do Cruzeiro na noite desta quarta-feira. No entanto, o time de Cuca voltou muito melhor para o segundo tempo e muito se deve a entrada do atacante colombiano Borja.

Após assistir o Cruzeiro anotar os três gols sobre o Palmeiras do banco de reservas, no primeiro tempo, o jogador acabou entrando na vaga do meia venezuelano Guerra e não decepcionou, ajudando a equipe a arrancar um inesperado empate no segundo tempo. No fim, o jogador ganhou elogios dos companheiros e do treinador após o jogo.


VEJA TAMBÉM:


“Nessas horas difíceis o jogador tem de responder, como respondeu o Dudu, o Willian, o Guedes, e o Borja também. Ele mostrou para a gente que pode e sabe lutar, é o que a gente quer dele. Presença de área, definição, luta pelo espaço... São as normas do jogo. Ele entrou em um momento superdelicado e ajudou bastante” disse Cuca após o jogo.

Apesar de não mostrar grandes números nos 45 minutos que esteve em campo (apenas quatro chutes e todos para fora), o atacante começou a jogada do primeiro gol de Dudu e deu assistência para o jogador marcar o segundo do time no jogo. No entanto, o que mais chamou a atenção foi a movimentação e a dedicação do jogador para pressionar a saída de bola do time mineiro.

“É isto que a gente quer dele: presença de área, definição, luta pelo espaço, diminuir e aumentar espaço. São as normas do jogo. Ele entrou em um momento bastante delicado e ajudou a equipe” elogiou o treinador, mantendo a cobrança.

A entrega do atacante foi comemorada por todos, principalmente pelo torcedor do time que vibrou a cada bola disputada pelo atacante. Ligado na partida, Borja correu atrás dos defensores cruzeirenses, dificultou a saída de bola, apressou o tiro de meta adversário, pediu orientações de posicionamento à comissão técnica e teve boa movimentação sem bola (a principal reclamação de Cuca).

“O Borja é um grande jogador, foi eleito o melhor das Américas. O Borja está passando por uma adaptação ao estilo de jogo que o Cuca precisa e que o Borja vai ter que ajustar. Ele vai dar um pouco mais, os companheiros também vão ajudar e as coisas vão acontecer devagarzinho. Uns vão mais rápido, como o Borja, e outros demoram um pouco” lembrou Alexandre Mattos.

Willian Bigode Miguel Borja Palmeiras Internacional Copa do Brasil 17052017Crédito: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Apesar da fala do diretor de futebol do clube, a demora do colombiano para entrar no ritmo do futebol brasileiro é um dos motivos para que o Palmeiras esteja atrás de mais um atacante. Enquanto isso, Borja vai tentando mostrar que pode retomar a titularidade.

Próximo artigo:
De virada, Firmino exalta vitória do Liverpool: "jogo emocionante"
Próximo artigo:
Ancelotti: "Como treinador, devo tudo a Zidane"
Próximo artigo:
Ausência de Bruno Henrique na concentração irrita Sampaoli
Próximo artigo:
Treinador do Barcelona pede Malcom mais "decisivo"
Próximo artigo:
Barcelona dá ultimato a Rabiot
Fechar