Notícias Placares ao vivo
Liga dos Campeões da UEFA

Barcelona e Inter vestiram Ronaldo em seus momentos mais intensos na Europa

07:30 BRT 24/10/2018
Ronaldo Inter Barcelona 24 10 2018
O atacante brasileiro viveu seus momentos de afirmação como grande ídolo mundial com as camisas dos adversários desta quarta na Champions

Ronaldo foi um jogador de seleção. Se você pensar em toda a carreira dele e precisar escolher uma única camisa para ilustrar suas glórias, impossível não optar pela do Brasil. É claro que o atacante também colecionou vitórias pelos sete clubes em que atuou, mas torcedores de apenas três destas instituições não viram o ídolo vestir as cores de um arquirrival.

O carioca de Bento Ribeiro apareceu com grande destaque no Cruzeiro antes de ser negociado com o PSV Eindhoven, da Holanda, e finalizou a carreira no Corinthians. A curiosidade é que em seu período de maior estrelato na Europa, entre 1996 e 2008, Ronaldo transitou em duas das maiores rivalidades do continente: Barcelona e Real Madrid, Inter e Milan. E foi exatamente com Barça e Internazionale, adversários nesta quarta-feira (24) de Champions League, que o brasileiro marcou o seu nome como um ídolo mundial.

No Barcelona, ele ficou apenas por uma temporada. Mas que temporada! Foram 47 gols em 49 partidas, média de quase um tento por jogo (0.96), três títulos de primeira grandeza (Supercopa da Espanha, Copa do Rei e a hoje extinta Recopa Europeia) e as primeiras congratulações individuais – como Bola de Ouro da France Football e o antigo prêmio de melhor do mundo concedido pela FIFA.

Ainda chamado de Ronaldinho: o máximo de sua força física no Barça (Foto: Getty Images)

Ronaldo era o maior ídolo do Camp Nou, mas chocou o mundo quando trocou o Barça pela Internazionale de Milão, que buscava reencontrar o domínio na Itália e não poupou esforços financeiros para ter a grande estrela da época. Vestindo a camisa Nerazzurri, R9 ganhou somente uma Copa da UEFA (atual Europa League) na temporada 1997-98. Mas seguiu a encantar os amantes do futebol com gols decisivos e importantes que lhe renderam  o apelido que o segue até hoje: Fenômeno.

Ronaldo com o troféu da então Copa da UEFA (Foto: Getty Images)

Ninguém conseguia pará-lo, então o destino traçou as primeiras linhas tortas em uma história que encontraria um final feliz nos campos. Entre 1999 e 2001, Ronaldo sofreu as suas duas piores lesões. A primeira delas, ligada intimamente à segunda: o brasileiro voltava a campo contra a Lazio, em 2001, após cinco meses de recuperação, mas o seu joelho direito rompeu depois de poucos minutos. O trauma seria superado definitivamente apenas na conquista do Penta, com a Seleção Brasileira, em 2002.

O fato de ter defendido tantos rivais pode ter diminuído, ainda que bem pouco, a idolatria de Ronaldo nos principais clubes europeus por ele defendidos. Mas o que não há dúvidas é que os seus momentos mais marcantes como protagonista na Europa vieram com as camisas de Barça e Internazionale. E não faltam bons momentos a serem relembrados nesta história.