Abre o olho, Atleti! Godín Filipe Luís e Juanfran já podem negociar com outros clubes

Comentários()
Getty
A trinca defensiva tem contrato apenas até o meio deste ano de 2019, e poderiam firmar um pré-contrato com outros times

Peças-chave na defesa do Atlético de Madrid nas últimas temporadas, Diego Godín, Juanfran e Filipe Luís já podem, a partir de hoje, assinar pré-contratos com outras equipes. Isso porque os seus respectivos vínculos com o clube espanhola se encerra no próximo dia 30 de junho.

Todos eles chegaram a negociar novos contratos com a diretoria atleticana, mas por razões diferentes nenhum deles conseguiu firmar um acordo que fosse satisfatório para ambas as partes. Godín, Filipe Luís e Juanfran querem seguir a defender a camisa do Atleti, mas sabem que vários clubes também estão de olho em seus talentos.

Godín e Filipe, por exemplo, são muito bem vistos no futebol italiano e francês, enquanto que Juanfran sempre foi uma peça especulada na Premier League inglesa. Caso não consiga renovar com o trio, o Atlético de Madrid teria que gastar tempo e dinheiro para reconstruir a sua zona defensiva. Simeone deixaria de contar com seu lateral-direito titular (Juanfran), o esquerdo (Filipe) e um dos maiores zagueiros do clube em todos os tempos (Godín).

Diego Godin Atletico Madrid La Liga 2018Godín é um símbolo do Atleti (Foto: Getty Images)

A trinca de defensores, símbolos de uma época vitoriosa na história do Atleti, ainda busca um título inédito para o clube: a Champions League. Nesta temporada, a grande final será realizada no estádio Wanda Metropolitano, casa dos colchoneros. Em 2014 e 2016, os alvirrubros de Madri ficaram com o vice-campeonato.

Próximo artigo:
Novorizontino x São Paulo: Horário, local, onde assistir e prováveis escalações
Próximo artigo:
Chelsea anuncia contratação de Higuaín
Próximo artigo:
Dembelé teve de acionar seguranças para não perder a hora no Barça
Próximo artigo:
Resende x Flamengo: Horário, local, onde assistir e prováveis escalações
Próximo artigo:
Libertadores promete "tolerância zero" com violência
Fechar