Notícias Placares ao vivo
Juventus

A manutenção de seu craque silencioso é mais uma prova da força e da ambição da Juventus

20:46 BRT 24/08/2018
Miralem Pjanic Juventus 2017-18
Renovação de contrato de Miralem Pjanic, que estava na mira de Barcelona e Real Madrid, é uma notícia maravilhosa para a Vecchia Signora

É normal que Cristiano Ronaldo, um dos melhores jogadores da história do futebol, domine os holofotes na Juventus. Também é completamente natural que Paulo Dybala e Douglas Costa chamem muita atenção, assim como a forte defesa liderada por Giorgio Chiellini, o trabalho espetacular de Massimiliano Allegri e a fantástica hegemonia que a equipe construiu com os sete títulos seguidos da Serie A e as quatro dobradinhas consecutivas, faturando também a Coppa Italia nas últimas quatro temporadas.

No entanto, todo esse cenário cria uma injustiça. O enorme talento e o desempenho sensacional de Miralem Pjanic nos últimos anos não é tão reconhecido quanto deveria. Não que o bósnio não seja elogiado com frequência, seja pela torcida, pelos amantes do futebol ou pela imprensa, mas ele não recebe a atenção que merece. O meio-campista deveria ser ainda mais exaltado.

Não à toa, Barcelona e Real Madrid sonhavam com a sua contratação e tentaram tirar o jogador da Juventus. E sem sucesso. Nesta semana, a Vecchia Signora anunciou a renovação do vínculo com o bósnio até 2023, marcando um belo golaço e provando não somente sua força no mercado, mas também a sua ambição.

Senhora da Itália, a Juve sonha agora em parar de bater na trave e enfim voltar a conquistar a Champions League, que não ganha desde 1995/96. 

Por isso foi atrás de Cristiano Ronaldo, o Senhor Champions League, maior artilheiro da história da competição e goleador do torneio nas últimas seis edições, que marcou pelo menos 40 gols em cada uma das últimas oito temporadas, sendo no mínimo 50 tentos em quatro delas.

E a Juventus não só contratou o português como também manteve todas as suas cobiçadas estrelas. Buffon já tinha decidido sair e foi outro caso, mas Alex Sandro, Dybala, Douglas Costa, Cuadrado, Khedira, Chiellini, Barzagli, Benatia, Matuidi, Mandzukic e Bernardeschi ficaram no clube, que ainda trouxe Bonucci de volta. A permanência de Pjanic é mais uma vitória da Juve na janela de transferências.

Assim como Alex Sandro e Dybala, além de outros jogadores, o bósnio estava na mira de vários clubes do continente, mas a Vecchia Signora conseguiu mantê-lo no elenco. Nem mesmo Barcelona e Real Madrid foram capazes de tirar Pjanic de Turim.

Além de uma vitória no mercado, isso prova a ambição da Juve de voltar a conquistar a Europa. O clube trouxe uma máquina de gols para o seu ataque, deixou sua defesa ainda mais forte e manteve o seu talentoso meio-campo intacto, além de ganhar mais uma opção para o setor após a chegada de Emre Can. 

O poderoso time que é dono da Itália ganhou ainda mais força, talento, experiência e opções para ser também dono do Velho Continente, fora o elenco ainda mais entrosado com a manutenção de sua base e a continuidade do trabalho de Allegri.

E a manutenção de Pjanic é excelente não apenas por provar tudo isso, mas também pelo fato de a Juventus manter o seu craque silencioso. Como mencionado anteriormente, o bósnio não é tão destacado quanto deveria, ficando na sombra das principais estrelas do clube. Nesta temporada, será assim com CR7, Dybala e Douglas Costa. Nas anteriores, foi assim com o camisa 10 argentino, o número 11 brasileiro, Higuaín e outros nomes. No entanto, o meio-campista é simplesmente vital para a Juve.

Um dos melhores, para muitos, o melhor cobrador de faltas da Europa, Pjanic é o cara que dita o ritmo de jogo da Juventus. O bósnio comanda a troca de passes no meio-campo, trabalha bem a posse, é primordial na transição defesa-ataque e na criação de jogadas do time de Allegri e letal em bolas paradas e chutes de média e longa distância.

Dono de enorme qualidade técnica, um excelente passe e uma visão de jogo privilegiada, Pjanic é fundamental na Juventus e o cara que faz o time produzir o que Allegri pede. O meio-campista é o craque silencioso que faz a Vecchia Signora funcionar.

Os números da última temporada da Serie A provam isso. O bósnio foi o quarto artilheiro da equipe em 2017/18, com cinco gols, atrás de Dybala, Higuaín e Khedira e empatado com Mandzukic. Todos os seus tentos foram de fora da área. Ele também foi o vice-líder de assistências (8), atrás apenas de Douglas Costa (12). O meio-campista ainda foi o jogador que mais criou chances de gols para a Juve: 60, ao lado do meia-atacante brasileiro.

Pjanic também foi o atleta que mais deu passes no time (2068), tendo 90,2% de precisão e quem mais fez cruzamentos (114). A bola sempre passa pelo bósnio, o maestro da equipe.

(Fotos: Getty Images)

O meio-campista ainda é vital defensivamente, tendo sido o líder em roubadas de bola (226) e o terceiro em desarmes (36), na frente até mesmo de Chiellini, Benatia e Barzagli.

Sem sombra de dúvidas, Pjanic é um dos melhores meio-campistas do mundo e peça fundamental da Juventus. Cristiano Ronaldo, Paulo Dybala, Douglas Costa e outros nomes vão atrair os holofotes mais vezes, mas o bósnio é o craque e o maestro silencioso de um dos melhores times da Europa, que tem totais condições de voltar a conquistar a Champions League e entra como um dos favoritos. A Vecchia Signora marcou um golaço, como as mágicas cobranças de falta de seu meia, ao manter uma de suas estrelas no elenco, mesmo com todo o assédio de Barcelona e Real Madrid.