A crise que atravessa o Real Madrid não afeta apenas a La Liga

Comentários()
Getty Images
A 'depressão' merengue na La Liga afeta também o clube na Copa do Rei e na Champions, competição que irá enfrentar o PSG em menos de um mês

O Real Madrid está em baixa e a sua situação ficou evidente no Balaídos, no último final de semana, sendo corroborada nesta quarta-feira contra Numancia, no Bernabéu. No jogo da Copa do Rei, nem mesmo o nível mais baixo do rival melhorou a aparência desse grupo de jogadores comandados por Zidane. A equipe sofreu um colapso que o "matou" na La Liga (é o quarto, 16 pontos atrás do Barça sem ainda sequer ter finalizado o primeiro turno), mas também o afetou no resto das competições. 

O declínio da equipe tem sido gradual. Depois de vencer a Supercopa da Europa contra o United e a a da Espanha contra o Barça, oferecendo uma imagem impressionante, houve um apagão no time. Físico, mental e técnico.  

O Real começou a La Liga com um triunfo em Riazor (0-3), mas no segundo jogo já sofreu o primeiro revés. Aquele 2-2 contra o Valência, no Bernabéu, mostrou os primeiros sintomas da doença merengue. Asensio salvou um ponto em uma partida em que a equipe começou a desperdiçar oportunidades claras de gol. Na terceira rodada,o  Levante arrancou um empate no Bernabéu (1-1) contra um Real Madrid misto, aumentando os problemas da equipe que começou a revelar que o seus reservas não eram tão brilhantes quanto no ano passado. De repente, tudo naquela equipe campeã de 2017 parecia ter ruído. 

A derrota contra o Betis, em casa (0-1), colocou o time na sala de emergência. A equipe de Zidane caia para sete pontos de distância para o Barça e começou uma crise de ansiedade que provocou a falta de gols, lesões, declínio físico e a insistência de Zidane em manter os onze jogadores que passavam por um mau tempo evitando a entrada de jogadores como Asensio, Mayoral ou Ceballos. 

Zinedine Zidane Real Madrid Numancia Copa del Rey 10012018Foto: Getty

Essa imagem preocupante contagiou o Real na Champions League, uma competição que sempre se adequa a essa equipe. Apesar de ter desfrutado a melhor versão de Cristiano nesta temporada (nove gols em seis jogos que contrastam com os quatro gols em 13 jogos na La Liga), os merengue chegaram às oitavas de final em segundo do grupo, superados por uma equipe como o Tottenham, quinta colocada na Premier League a 21 pontos do líder, Manchester City. Os ingleses maltrataram o Real. Eles arrancaram um empate no Bernabéu (1-1) contra um Real descuidado, sem pontaria, sem encanto e Keylor resgatou com três bolas na rede na derrota por 3-1 em Wembley.  

Zidane, três dias depois de ser superado pela defesa do Girona (2-1), sucumbiu novamente ao time de Pochettino e o Real MAdrid, com a classificação em mãos por seus triunfos contra o APOEL e o Borussia, mostrou novamente que não é mais quem era (e não se deve esquecer o Mundial de Clubes que, embora Madrid tenha deixado Abu Dhabi com o título, teve um grande susto contra Al Jazira ...). 

Real Madrid Numancia Copa Del Rey 10012018Foto: Getty

O elenco ficou enfraquecido principalmente com a saída de jogadores considerados importantes do banco de reservas, especialmente com as partidas de Morata, James e Pepe, mas aqueles ficaram, com algumas exceções, não provaram ser um salva-vidas.  

O Real Madrid foi para as quartas de final da Copa do Rei, mas fez isso sem ganhar um único jogo no Bernabéu, um sinal de que algo grave acontece com esse time que em um mês recebe em casa o vigoroso PSG de Mbappé e Neymar. Essa eliminatória marcará em grande medida o futuro do Real Madrid...

Fechar