Independiente é campeão da Sul-Americana

Nos pênaltis equipe brasileira acabou perdendo o título. Felipe errou cobrança que definiu a decisão

O Goiás entrou em campo no estádio Libertadores da América, com uma grande vantagem. Havia uma torcida esperançosa do título em Goiânia e outra torcendo contra em Porto Alegre. O Independiente tinha contra si uma desvantagem de dois gols, mas a seu favor um estádio lotado para pressionar seu adversário.

Começo nervoso

O Independiente começou com muita vontade, mas sem articular boas jogadas. A defesa do Goiás rebatia todas as bolas, mas parecia nervosa com a decisão. A bola rondava a grande área goiana, faltava uma conclusão de qualidade.

Gols relâmpagos

Aos 19 minutos do primeiro tempo a equipe argentina em jogada ensaiada marcou. Matheu bateu e Harlei fez uma grande defesa, no rebote Velasquez empurrou a bola para as redes.

O Goiás reagiu rápido, Welington Saci fez grande jogada pelo lado esquerdo e cruzou para Rafael Moura que marcou de cabeça aos 22 minutos. A torcida do Independiente ficou calada não acreditando no que estava acontecendo.

Sorte argentina

O Independiente foi para cima do Goiás para tentar reverter o resultado, e teve muita sorte!

Aos 26 minutos, em um lançamento para a área do Goiás, Ernando tentou afastar e chutou em cima de Parra. A bola incrivelmente encobriu Harlei e morreu no fundo do gol. Gol sem querer!

Abalado o time brasileiro acabou tomando mais um. Aos 34 minutos Pato Rodriguez lançou para a área, Parra dividiu com Marcão, caiu, e mesmo no chão conseguiu dar de canela na bola para sacudir a rede de Harlei.

Até o fim da primeira etapa quem ficou mais com a bola foi o Independiente, nos acréscimos Cabrera quase marcou.

Segundo tempo

A equipe do Goiás voltou mais segura na defesa para a segunda etapa, mas deixou que os argentinos pressionassem bastante. Faltava reação no inicio do segundo tempo.

Aos 18 minutos Rafael Moura fez grande jogada dentro da área, mas Navarro fez uma grande defesa. Foi à primeira chance do time brasileiro na segunda etapa.

Goiás cresce

A partir da metade do segundo tempo, a equipe brasileira equilibrou a partida. Com posse de bola e partindo para o ataque. O Independiente errava muitos passes, o jogo ficou melhor para o Goiás.

Aos 39 minutos mais uma vez ele, Rafael Moura teve a chance de definir a decisão chutando de perna esquerda para uma belíssima defesa do goleiro Navarro.

Rafael Moura aos 44 do segundo tempo torna as coisas mais dramáticas. Na pequena área ele chutou pra fora. Foi o último grande lance do tempo regulamentar.

A prorrogação

O Goiás veio com tudo na prorrogação para tentar matar a partida!

Após cobrança de falta de Marcão, Rafael Moura cruzou da direita e Rafael Toloi cabeceou no poste de Navarro logo há um minuto.

Durante toda prorrogação o Goiás pressionou e o Independiente se defendeu sentindo muito cansaço. Os argentinos sofreram pressão e seguraram o que puderam.

Na prorrogação acabou tudo igual, a decisão ficou para o drama dos tiros livres da marca penal.

Os pênaltis

Na decisão por pênaltis, o time do Goiás acabou não tendo sorte. Felipe errou quarta cobrança, todos os outros batedores acertaram e o time argentino acabou levando o título da Sul-Americana.

Destaques

Rafael Moura mais uma vez foi o destaque da equipe brasileira, marcando gol e encomodando muito a defesa adversária. Pelo lado do Independiente o destaque ficou para Parra que marcou dois gols e para o goleiro Navarro que fez grandes defesas no segundo tempo.

Motivo de orgulho

Não existem motivos para a torcida do do Goiás ou seus jogadores ficarem tristes. Lamenta-se o primeiro tempo muito ruim, mas no geral quem dominou a partida durante a maior parte dos 120 minutos foi o time brasileiro. O Goiás representou muito bem o futebol brasileiro na Copa Sul-Americana!

Tristeza de uns, alegria de outros...

Enquanto os torcedores do Goiás ficaram tristes, os torcedores do Grêmio comemoram muito pois o time gaúcho está calssificado para a Libertadores! Já o Goiás volta para a dura realidade de jogar a segunda divisão no próximo ano.