Notícias Placares ao vivo

Mesmo quando some, ele parece destinado a decidir: Cristiano Ronaldo é nome forte para a Bola de Ouro

Atuações apagadas, sumido nos jogos decisivos, atropelado pelo Barcelona em pleno Santiago Bernabéu e críticas, muitas críticas. O início da temporada 2015/16 não foi nada bom para Cristiano Ronaldo. O gajo era questionado, assim como o Real Madrid, e muitos se perguntavam se o declínio no futebol do craque já tinha começado. O camisa 7, em certo momento, foi dado até como carta fora do baralho na premiação da próxima Bola de Ouro. No entanto, tudo mudou.


GOALLEIA MAIS: GOAL
Atleti: carrasco na Espanha, freguês na Champions | Real faz Madri alcançar a história | "Perder duas finais é um fracasso"


Quando Zinedine Zidane assumiu os Blancos, a mudança no futebol de Cristiano Ronaldo foi impressionante. Com melhor ambiente no vestiário e ótima relação com o treinador, o gajo voltou a ser espetacular e super decisivo. Quando o Real mais precisou do craque, ele apareceu.

Além do caminhão de gols na fase de grupos, nas oitavas de final da Uefa Champions League, ele marcou e foi fundamental nos dois jogos contra a Roma. Nas quartas, anotou os três tentos da vitória por 3 a 0 sobre o Wolfsburg, protagonizando uma incrível remontada. Já em La Liga, se o título não veio, ele teve uma excelente atuação e marcou o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Barcelona, que parecia imparável e estava invicto há 39 partidas, em pleno Camp Nou, além de fazer grandes partidas e balançar as redes 35 vezes.

(Foto: Getty Images)

Na final deste sábado, porém, o camisa 7 sumiu. Apagado e sem produzir grandes jogadas e levar perigo durante os 90 minutos do tempo normal e os 30 da prorrogação, o português foi uma completa decepção na decisão da Champions com a bola rolando. No entanto, os craques parecem destinados a decidir e fazer história, e foi o que aconteceu. Na disputa de pênaltis, Cristiano Ronaldo pediu para bater por último. "Tive uma visão. Vi que ia marcar o gol da vitória. Pedi a Zizou para me deixar bater o quinto pênalti, porque ia ser o gol da vitória", contou o gajo após a partida.

A visão do craque estava certa.

(Foto: Getty Images)

Mesmo quando faz uma partida ruim e some em campo, Cristiano Ronaldo define e marca o gol do histórico 11º título da Uefa Champions League do Real Madrid, o maior campeão da história da competição. O craque parece destinado a ser decisivo.

CR7, porém, não foi decisivo apenas na final. Sem o craque, o Real Madrid não teria chegado na decisão. De forma incontestável, o gajo foi o melhor jogador da Champions. Além de autor do gol do título, ele foi o artilheiro da competição com 16 gols em 12 jogos. O recorde de 17 tentos da conquista de La Décima não foi igualado nem superado, mas o português é o único da história a marcar 16 vezes ou mais em duas edições do torneio.

Confira os números de CR7 nesta edição da Champions:

Goleador da competição, ele foi fundamental para o Real não somente pelos gols marcados e por chamar a responsabilidade quando o time precisou e resolver nos momentos mais tensos. Cristiano Ronaldo teve uma participação incrível no jogo ofensivo da equipe madrilenha. Dos 28 tentos anotados pelos Blancos na Champions, ele participou diretamente de 20.

Craque, artilheiro, decisivo e quebrador de recordes. Maior goleador da história da Liga dos Campeões com 93 gols em 127 jogos, nesta edição ele anotou seu quinto hat-trick no torneio, se tornando o jogador que mais vezes conseguiu o triplete na competição, ao lado do eterno "rival" Lionel Messi. O gajo também chegou ao seu 11º gol de falta na UCL, o que faz dele o atleta que mais tentos fez desta forma ao lado do lendário Del Piero.

O rendimento de Cristiano Ronaldo na Uefa Champions League foi assustador e recolocou o craque na briga pela próxima Bola de Ouro, o prêmio que ele tanto ama. Afinal, o português quebrou recordes, foi campeão, artilheiro e melhor jogador do principal torneio de clubes da Europa, além de aparecer nos momentos decisivos e marcar o gol do título.

(Foto: Getty Images)

O próprio camisa 7 tem noção disso. "Ganhar a quarta Bola de Ouro? O primeiro passo para isso era ganhar a Champions, e eu ganhei e fui o artilheiro", afirmou após conquistar o título.

Além disso, o gajo brilhou em outras partidas, como a já mencionada vitória sobre o Barcelona em pleno Camp Nou, quando ele marcou o gol da vitória. Sua temporada foi ótima, e pelo sétimo ano seguido, ele anotou mais de 50 tentos, sendo o primeiro jogador na história a conseguir o feito.

Cristiano Ronaldo ainda vai disputar a Euro com Portugal, e caso faça uma grande campanha ou tenha um rendimento impressionante com sua seleção, ele será um candidato ainda mais forte na briga pela Bola de Ouro. E mesmo que a campanha lusitana não seja boa, o gajo é um dos favoritos ao prêmio e pode sonhar em recebê-lo pela quarta vez. No entanto, o melhor é esperar até julho para ter uma previsão mais acertada.

(Foto: Getty Images)

Os principais adversários de CR7 na briga pela Bola de Ouro são Luis Suárez e Lionel Messi. Neymar teve alguns momentos espetaculares ao longo da temporada do doblete barcelonista, mas sem sombra de dúvidas ficou abaixo do argentino e do uruguaio no geral. Também existem outros grandes jogadores que poderiam entrar na lista, mas atualmente, acredito que os camisas 9 e 10 do Barça e o 7 do Real estarão entre os três finalistas do prêmio.

Suárez foi o artilheiro e líder de assistências - ao lado de Messi - de La Liga, e também o goleador máximo da Copa del Rey, ao lado do camisa 10 barcelonista e também de Munir, Guidetti e Negredo. O uruguaio vai receber o Pichichi e a Chuteira de Ouro, e foi o grande nome do Barcelona em 2015/16. O craque viveu uma temporada extraordinária e foi vital para o título espanhol. Com 40 gols, foi o artilheiro do torneio, superando Cristiano Ronaldo (35) e Lionel Messi (26), sendo o primeiro desde o compatriota Diego Forlán, em 2008/09, a quebrar o domínio do português e do argentino, que sempre foram os goleadores do campeonato desde então.

Confira os números de Suárez nesta edição de La Liga:

Como se isso não bastasse, Suárez ainda carregou o Barcelona e ajudou o time a superar a má fase. No momento em que o Barça mais precisou de alguém para liderar a equipe e superar os problemas, ele apareceu. Nos últimos cinco jogos de La Liga, ele encerrou a sequência negativa azul-grená marcando incríveis 14 gols, incluindo um hat-trick na vitória sobre o Granada, por 3 a 0, que garantiu o título. Por sinal, em suas duas temporadas nos Blaugranas, o camisa 9 conquistou La Liga duas vezes. Retrospecto perfeito.

Luis Suárez foi, indiscutivelmente, o melhor jogador de La Liga, teve números e atuações fantásticas, e também estatísticas impressionantes em todos os outros torneios. Além de ter liderado a artilharia da Copa del Rey, o camisa 9 foi o goleador do Mundial de Clubes vencido pelo Barça, com cinco bolas nas redes, e anotou oito tentos na Uefa Champions League. Suárez foi fundamental em todos os campeonatos com atuações memoráveis e números incríveis. O atacante marcou incríveis 59 gols em 53 jogos na temporada, conquistou La Liga, a Copa del Rey, o Mundial e ainda disputará a Copa América Centenário com o Uruguai.

Lionel Messi, por sua vez, sofreu com as lesões, mas ainda assim foi fundamental para o Barcelona. Líder de assistências de La Liga ao lado de Suárez, ele foi um dos artilheiros da Copa del Rey e deu os passes para os gols de Jordi Alba e Neymar na final do torneio mata-mata, desequilibrando na prorrogação contra o Sevilla e sendo fundamental para o título, assim foi no Espanhol. O camisa 10 argentino também foi espetacular em alguns jogos e viveu fase extraordinária entre dezembro de 2015 e março de 2016. Além disso, disputará a Copa América Centenário com a Albiceleste, uma das favoritas na competição.

Tanto Messi quanto Suárez, se conquistarem o título - provavelmente como protagonistas - ganharão mais força na disputa pela Bola de Ouro. No entanto, atualmente, o grande favorito é Cristiano Ronaldo, o craque que foi o ator principal da Uefa Champions League, o melhor e mais importante torneio de clubes do planeta. O argentino e o uruguaio brilharam no doblete, mas o gajo brilhou no palco principal e, hoje, é o favorito para levar o quarto troféu da sua premiação favorita.