Palmeiras x Corinthians: Após quase 40 anos, dérbi volta a ser disputado na casa do Verdão

Última vez que o time Alviverde recebeu o Timão em sua casa ocorreu em janeiro de 1976
As casas do Dérbi Paulista
Paléstra Itália
Chácara da Floresta
Ponte Grande
Parque São Jorge
Pacaembu
Barretão
Morumbi
Martins Pereira
Morenão
Santa Cruz
Eduardo José Farah
Benedito Teixeira
Fonte Nova
Arena Corinthians

Depois de 39 anos, Palmeiras e Corinthians voltarão a se enfrentar na casa da equipe alviverde, neste domingo, às 17h (horário de Brasília), no Allianz Parque, a nova arena do Verdão. O último dérbi no antigo Palestra Itália aconteceu em 21 de janeiro de 1976 pelo Torneio Nacional Taça Governador do Estado e terminou empatado por 1 a 1, com Tião abrindo o placar para o Timão, e Nei empatando para o time da casa.

Antes disso, os rivais paulistanos se enfrentaram no Palestra Itália outras 39 vezes. O primeiro dérbi da história, inclusive, aconteceu no estádio alviverde no dia 6 de maio de 1917, e terminou com vitória do Verdão por 3 a 0, três gols marcados por Caetano. No total, foram 21 vitórias alviverdes, 11 alvinegras e oito empates no antigo Parque Antarctica.

Em quase 98 anos de história, o clássico entre os dois grandes clubes mais antigos da capital já aconteceu em 14 locais diferentes. Além do Palestra Itália, o Verdão leva vantagem: nos duelos no Morumbi (39v, 34e, 38d); no Antônio Gomes Martins, em Barretos (1v); na Ponte Grande, que chegou a ser “a casa do Corinthians” na década de 1910 (3v, 1e); no Prudentão, em Presidente Prudente (4v, 3e).

No estádio Chácara da Floresta a vantagem também é do Palmeiras. Em sete jogos, foram três vitórias, dois empates e duas derrotas. No primeiro confronto entre as equipes no local, válido pelo Campeonato Paulista de 1917, o alviverde venceu por 3 a 1. Confira a seguir os dois times desta partida.

Já o Timão tem retrospecto superior na Arena Corinthians, que recebeu o seu primeiro dérbi no Campeonato Brasileiro do ano passado e terminou com vitória alvinegra por 2 a 0, e no Pacaembu (61v, 46e e 45d).

Em outros sete estádios há empate no retrospecto. O Parque São Jorge, já há alguns anos sem jogos oficiais, recebeu 15 dérbis: 5 vitórias pra cada lado, além de cinco empates. Também há igualdade os confrontos na Chácara Flores, no Teixeirão, no Santa Cruz, no Martins Pereira, no Morenão e na Fonte Nova.

Juntando todos os confrontos, o histórico entre Palmeiras e Corinthians é bem equilibrado. As duas equipes já se enfrentaram 346 vezes, com 121 vitórias do Verdão e 120 do Timão. O duelo ainda teve 105 empates.

OS PALCOS MAIS UTILIZADOS

Pacaembu e Morumbi, respectivamente, são os palcos que mais tiveram jogos entre as duas equipes até hoje. A grande maioria dos dérbis disputados em outros locais se deu antes da construção dos dois estádios. A iniciativa aconteceu por conta da grandeza do clássico e da possibilidade de rendas maiores.

O Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho possuí episódios que jamais serão esquecidos pelos torcedores palmeirenses e corintianos. Vários dérbis importantes foram disputados no local a partir de 1940, quando o complexo esportivo foi inaugurado. Já no torneio de inauguração, aconteceu o primeiro duelo na decisão e o Palestra Itália venceu por 2 a 1.

Palestra Italia 2 x 1 Corinthians
Data: 
05.05.1940
Competição: Torneio de Inauguração do Pacaembu

Foi no Pacaembu também, que o Corinthians conquistou o Paulistão de 1954 (ano em que se comemorava o IV Centenário da Fundação de São Paulo) com um empate por 1 a 1 com o arquirrival, que o Palmeiras derrotou o time alvinegro e ficou com o título brasileiro de 1994 e que o Timão se sagrou campeão do Brasileirão de 2011 após empate sem gols com a equipe alviverde.

Já o Morumbi passou a ser palco de muitos dérbis a partir do fim da década de 1960. No primeiro deles, em 1967, deu Palmeiras: 1 a 0. Foi lá também, que o Verdão teve as inesquecíveis vitórias sobre o Corinthians nas Libertadores de 1999 e de 2000. O Timão também teve momentos de alegria no estádio, como ao se sagrar campeão paulista em jogo marcado pelas embaixadinhas de Edílson Capetinha, que se seguiu de brigas e confusão generalizada. De 2008 em diante, porém, o estádio do São Paulo não foi mais utilizado para a disputa de dérbis por conta de brigas políticas entre os dirigentes.