thumbnail Olá,

Técnico do ‘Super Bayern’ entrou para a história como jogador e técnico, e antes de sua despedida no comando do clube bávaro, ainda poderá aumentar os recordes dessa bela história

Quais são os elementos necessários para se tornar um técnico de sucesso? Conhecimento, carisma, títulos? Jupp Heynckes possui todos esses elementos e, em seu último ano à frente do Bayern de Munique, conduziu o clube a uma temporada histórica. Mas o êxito não veio à toa. Heynckes é um exemplo de constante busca pelo conhecimento.

Aos 68 anos, montou uma equipe que joga um futebol moderno e pode levar para a sala de troféus dos bávaros uma tríplice coroa inédita no futebol alemão. Para isso, precisa levantar a Copa da Alemanha, neste sábado. Confira abaixo um especial sobre a carreira deste grande personagem do mundo da bola.

  A CARREIRA COMO JOGADOR

Assim como muitos de seus companheiros de profissão, antes de ser técnico Heynckes foi um jogador profissional. Ao contrário do que o senso comum mostra no futebol, atuava como atacante. E como jogava! É um dos maiores goleadores da história do futebol germânico. Participou da fase mais gloriosa da história do Borussia Mönchengladbach, na década de 1970: foram quatro títulos da Bundesliga (o Campeonato Alemão), uma Copa da Alemanha, uma Taça da UEFA (atual Liga Europa) e foi vice-campeão da Copa dos Campeões da Europa em 1977.


Pode ser irônico, mas no auge de seu período como atleta, o grande rival de Heynckes dentro da Alemanha era exatamente o Bayern de Munique. No entanto, ao lado de grandes nomes do clube bávaro, como Beckenbauer e Paul Breitner, o atacante dos Potros (apelido carinhoso do M’Gladbach) também teve sucesso com a seleção alemã.

Em 1972, Heynckes participou da campanha do título da Eurocopa e dois anos depois foi campeão do mundo com a Nationalelf. Pendurou as chuteiras em 1978 para se tornar um dos grandes técnicos do futebol europeu.

  A VIDA NA ÁREA TÉCNICA

Enquanto estudava para se tornar um técnico, o ‘seu’ Borussia Mönchengladbach ainda conquistou mais uma Taça da UEFA, em 1978-79. Na temporada seguinte, Heynckes substituiu o lendário treinador Udo Lattek no comando do clube. Após oito anos, não conseguiu repetir o sucesso de seus tempos de jogador, embora tenha chamado a atenção do antigo rival, Bayern de Munique, que o contratou em 1987.

Na Baviera, reencontrou Lothar Matthäus, jogador que esteve sob o seu comando no M’Gladbach. Reencontrou, também, os títulos. Em sua primeira passagem pelo Bayern, foram quatro taças (duas Supercopas e duas Bundesligas). Nesse meio tempo, treinou inúmeros times, mas deixou seu nome marcado ao conquistar a Champions League com o Real Madrid, na temporada 1997-98.

Após o período na capital espanhola foi para o Benfica, Athletic Bilbao, Schalke, Borussia Mönchengladbach, teve uma temporada novamente no Bayern e depois comandou o Bayer Leverkusen. Em 2011, aceitou a proposta para voltar ao Bayern pela terceira vez.

Em sua primeira temporada, conheceu a dor de ter chegado muito perto de todos os títulos disputados, mas não ganhou nenhum. A mais dolorida das derrotas, sem dúvida, foi na final da Champions League, em plena Munique, contra o Chelsea.

  NO COMANDO DO 'SUPER BAYERN'

O terceiro Bayern de Jupp Heynckes já mostrava bom padrão de jogo e contava com grandes nomes, mas faltava o título. As derrotas dos anos anteriores fomentaram ainda mais a vontade de atingir voos mais altos, e de conquistar pela quinta vez na história do clube a Champions League. A direção bávara abriu os cofres para contratações. O mais caro dos reforços foi o volante Javi Martínez: 40 milhões de euros.

Mas não foi somente a chegada do espanhol que aparou as arestas para moldar o Bayer supercampeão de 2012-13, o “Super Bayern”, como dizem os torcedores. Dante deu mais segurança à defesa e Mandzukic aumentou o combate no campo de ataque, sem se esquecer de marcar os gols. O comprometimento do elenco repleto de craques também ajudou.


Quando o clube anunciou que Heynckes se aposentaria após a temporada e que seria sucedido por Pep Guardiola, o grupo de jogadores pareceu ficar mais fechado ainda para fazer uma despedida inesquecível para o comandante. E deu certo. O “Super Bayern” conquistou a Bundesliga após dois anos, batendo todos os recordes, e venceu o Borussia Dortmund na final da Champions League. Para conquistar a inédita tríplice coroa, falta somente passar pelo Stuttgart na final da Copa da Alemanha, neste sábado.

Muitas perguntas podem ser feitas no momento. Começa agora uma nova dinastia do Bayern? O clube vai conquistar a tríplice coroa? Heynckes realmente vai se aposentar, ou vai para o Real Madrid? No entanto, uma certeza nós podemos ter: Jupp Heynckes, além de ter sido exemplar como jogador, tornou-se e será lembrado sempre como um dos maiores técnicos da história do futebol europeu.

Relacionados