​Marco Polo deixa a Suíça e Ricardo Teixeira volta para o Brasil

Ex-presidente da CBF teria sido aconselhado pelos advogados a não retornar para os EUA, enquanto que atual mandatário fez check out em hotel um dia antes da eleição

Após a prisão do vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin, o país pode ficar sem representante na eleição da Fifa nesta sexta-feira. O mandatário da entidade, Marco Polo del Nero, deixou o hotel Baur Au Lac nesta quinta-feira, com destino ao Brasil. A informação foi confirmada pela própria assessoria de comunicação da federação internacional de futebol.

Ainda não envolvido oficialmente no escândalo que estourou nesta quarta-feira na Suíça, existe a suspeita que o atual presidente da CBF seja um dos investigados pelo FBI, cujo o relatório aponta um “co-conspirador” com características parecidas com a do dirigente.

Com relação a votação para presidente da Fifa, a Confederação Brasileira de Futebol pode indicar um representante na eleição, não necessariamente seu presidente, mas ainda não há confirmação se esse dispositivo legal será utilizado.

Ricardo Teixeira no Brasil
Outro suspeito de ser um “co-conspirador” é o antigo presidente da entidade, Ricardo Teixeira. E ele também parece estar querendo se preservar. Segundo a coluna Radar on-line, do jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, Teixeira deixou o principado de Mônaco logo após as prisões em Zurique e foi aconselhado pelos advogados a não deixar o Brasil neste momento.