​Chacina da Pavilhão Nove: preso em Oruro entre os mortos

Ex-presidente da torcida organizada, Fábio Neves Domingos esteve entre os detidos pela morte do torcedor Kevin Espada, do San José (BOL)

A Polícia Militar de São Paulo já identificou sete das oito vítimas da chacina que foi promovida na sede da torcida Pavilhão Nove, ligada ao Corinthians. E entre os mortos está um homem que foi preso em Oruro, na Bolívia.

Fábio Neves Domingos, de 34 anos, já havia sido presidente da organizada e foi detido na cidade boliviana acusado de fazer parte do incidente que acabou matando o jovem Kevin Espada, torcedor do San José, na Copa Libertadores de 2013. Ao lado de Fábio, 11 outros torcedores ficaram vários meses presos naquela época, pelo disparo de um sinalizador naval que matou Espada.

O massacre promovido na madrugada deste domingo vitimou oito torcedores e a polícia está investigando a motivação. De acordo com o Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa, a motivação não parece ter sido rixa de torcidas e uma das hipóteses é briga envolvendo tráfico de drogas. A chacina teria sido promovida por três homens fortemente armados que invadiram o local, mandaram os presentes deitar na quadra e executaram os presentes à sangue frio.

A lista das vítimas já identificadas
André Luiz Santos de Oliveira, 29 anos
Fábio Neves Domingos, 34 anos
Jhonatan Fernando Garzillo Massa, 21 anos
Marco Antônio Corassa júnior, 19 anos
Matheus Fonseca de Oliveira, 19 anos 
Mydras Schimidt Rizzo, 38 anos
Ricardo Júnior Leonel do Prado, 34 anos