Balotelli é alvo de ofensas racistas durante treino da Itália

Jogador do Milan é xingado durante treino preparatório para a Copa do Mundo da seleção italiana. Federação comunica repúdio ao incidente

Apesar de ser considerado por muitos como a principal esperança de gols da Itália na Copa do Mundo, Mario Balotelli ainda é perseguido e criticado em seu próprio país. Mais do que criticas ao seu momento irregular no futebol, os xingamentos são por conta de sua cor de pele. Durante treino da seleção italiana realizado na manhã desta quarta-feira (21/5) o atacante do Milan foi alvo de novas provocações de cunho racista. Segundo o jornal italiano Gazetta dello Sport, os gritos vieram de fora do centro de treinamentos, direcionados para o atacante.

Ainda de acordo com o jornal, Balotelli teria comentado que as provocações racistas costumam ser mais fortes nessa região central do país: "Inacreditável, só em Roma e Florença essas coisas acontecem", comentou com os seus companheiros logo após o incidente.

O presidente da Federação Italiana de Futebol mostrou-se indignado com o ocorrido. Para Giuancarlo Spruce, os xingamentos são repugnantes: "É um comportamento inaceitável de pessoas que não deveriam estar ali. O gesto deles demonstra um baixo nível", declarou o dirigente.

Durante a coletiva de imprensa após o treinamento o treinador Cesare Prandelli tratou de minimizar o ocorrido, dizendo que ouviu também gritos de apoio e incentivo. Seguranças identificaram três jovens que teriam xingado Balotelli em Coverciano.

A Itália está no Grupo D da Copa do Mundo, ao lado de Inglaterra, Uruguai e Costa Rica. Em busca do quinto título mundial, a equipe de Balotelli estreia na Copa do Mundo no dia 14 de junho, às 19h (horário de Brasília) na Arena da Amazônia.