Projeto propõe 'Champions League das Américas'

Empresário dono de clube dos Estados Unidos se empenha para a criação de nova liga. Competição reuniria as melhores equipes das Américas do Sul, do Norte e Central

Uma novidade pode balançar as estruturas do futebol nas Américas. O empresário italiano Riccardo Silva, dono do Miami FC, clube que disputa a NASL, quer criar a 'Champions League das Américas'. O torneio seria paralelo a competições como a Libertadores e a Concacaf Champions League.

Em entrevista ao site norte-americano SBI, Riccardo revelou que pretende rivalizar assim com a Champions League da Europa. Afinal, as equipes da América do Norte estão se reforçando bastante nas últimas temporadas.

O Barcelona faturou cerca de R$ 59 milhões com o título da Uefa Champions League (Foto: Getty Images)

“Para os times dos Estados Unidos, poder competir em um torneio oficial contra equipes do Brasil e da Argentina, que são algumas das melhores equipes do mundo, poderia ser algo realmente comparável à Champions League europeia”, declarou Riccardo, que disse já ter conversado com alguns times brasileiros.

No primeiro momento o principal atrativo seria o dinheiro. Segundo o empresário, a competição pagaria US$ 5 milhões aos participantes (cerca deR$ 17 mi). A equipe campeã receberia mais dinheiro do que a campeã da Libertadores e da Uefa Champions League juntas: US$ 30 milhões (R$ 105 mi).

A UCL pagou neste ano € 15 milhões (R$ 59 mi), enquanto a Libertadores pagou R$ 5,3 milhões (R$ 18,5 mi). Assim, as duas principais competições de clubes do mundo pagaram aos seus últimos campeões (Barcelona e River Plate) um total de R$ 77 milhões - cerca de R$ 27 milhões a menos do que o projeto de Riccardo.

O ex-zagueiro Paolo Maldini comanda o Miami FC ao lado de Riccardo Silva (Foto: Divulgação/NASL)

“Nós estamos começando com esta ideia, e achamos que será factível; sso provavelmente vai demorar ainda, o que não é um problema, pois nos deixa fazer tudo melhor e com mais cuidado”, declarou, mantendo a cautela de não prometer uma data.

Além de ser dono do Miami FC, Riccardo também é acionista da MP & Silva, empresa responsável pelos direitos de transmissão das maiores ligas esportivas da Europa e da Copa do Mundo.