Ex-treinador de Douglas Costa conta que o meia quase foi dispensado do Grêmio

Aposta de Dunga na Seleção Brasileira, o brasileiro foi de 'franzino dispensável' a alvo do Manchester United

O meia-atacante Douglas Costa, do Shakhtar Donetsk, convocado por Dunga para a Seleção Brasileira, por muito pouco não ficou sem ter onde jogar nos tempos da base. Em 2000, o jovem "franzino" tinha dificuldade pela questão física, mas de acordo com ex-treinador da base, era excelente tecnicamente.

Recém-chegado de Sapucaia do Sul-RS ao Grêmio, o jogador quase foi dispensado pelo Tricolor Gaúcho. Emprestado ao Casa-Lar, de Santa Catarina, Gabardo Júnior, hoje responsável pela equipe sub-17 do time gaúcho, foi quem apostou no meia.

"Eu conheci o Douglas quando ele tinha 14 anos, e eu era auxiliar-técnico ainda. Era muito franzino e tinha dificuldade pela questão física, mas, tecnicamente, era um excelente jogador", disse Gabardo Júnior à Rádio ESPN.

"Por ele sentir essa falta de força, muitas vezes ficava fora da convocação dos jogos, ou participava pouco. Ele sempre ficava desmotivado por não ir, quase chegou a ser dispensado entre o infantil e juvenil por isso. Mas por saber da maturação do menino, conseguimos convencer os diretores a segurarem e apostarem nele", acrescntou ele.

"Fomos jogar um torneio e tanto Grêmio quanto Casa-Lar ficaram no mesmo alojamento, a gente sempre se trombava. O Douglas passava pelos meninos e falava: 'Quando eu pegar vocês, vou para dentro, eliminar vocês na competição'. Na véspera do jogo, o técnico do Grêmio falou ainda: 'Vamos ter cuidado, que o Douglas tá querendo jogar. Quando ele quando fez os gols, foi direto no treinador e gritou: 'Eu falei que você tinha que ter me trazido'. O técnico na hora não gostou muito, não!", contou o treinador.

Depois de vencer o time a qual pertencia, Douglas Costa foi imediatamente reintegrado ao Grêmio. No Olímpico, passou por tratamento para ganhar massa muscular e engordou 8kg. Em 2008, foi promovido ao time titular pelo técnico Celso Roth. Foi convocado para seleção brasileira sub-20 e vendido ao Shakhtar Donetsk por R$ 15 milhões. Mas por pouco, não jogou no Manchester United.

"Em 2009, o Manchester United quis levá- lo, após o sucesso do Anderson [também ex-Grêmio] na Inglaterra, mas acabou não se concretizando. Muitos outros clubes quiseram levá-lo, até porque o Grêmio ia para vários torneios de base na Europa. Jogamos na Holanda e ele foi muito bem, daí o pessoal começou a monitorá-lo", lembrou Gabardo.

Na ocasião, o então técnico dos Red Devils, Sir Alex Ferguson pediu para Douglas passar 20 dias em Manchester, em período de avaliação. O presidente do Grêmio na época, Duda Kroeff, negou a proposta.

"Ele continua o mesmo garoto de sempre, nos falamos sempre nas férias e pelas redes sociais. Mesmo com essa fama e jogando na seleção, ele continua muito humilde, conserva as amizades. A única diferença é que agora ele está mais bem vestido e com um carrão", concluiu o treinador.