Ainda é o nº1: Buffon é o maior goleiro de todos os tempos

Italiano, que fez a sua estreia no profissional há mais de 20 anos, é o goleiro mais bem classificado na lista Goal 50 de 2016


EXCLUSIVA GOAL 50


Durante uma sessão de perguntas e respostas entre os jovens torcedores da Juventus no ano passado, um garoto se levantou e se apresentou como Lorenzo, de Parma.

"Aqui está a minha pergunta", começou ele. "Por que você decidiu ir para a Série B com a Juventus [em 2006] quando você era um campeão do mundo, uma vez que tantas equipes queriam você?".

"Oi, Lorenzo. Diga olá para Parma por mim quando você for para casa. É um lugar que tenho no meu coração", respondeu Buffon.

"De qualquer forma, escolhi jogar a Série B com a Juve porque pensei no futebol. Acredito firmemente em certos momentos em que você precisa substituir palavras por feitos".

Buffon passou toda a sua carreira deixando o seu futebol falar por ele. Quando o ex-treinador do Parma, Nevio Scala, chegou e avisou no dia18 de novembro de 1995, que o italiano faria a sua estreia no profissional contra o Milan no dia seguinte, o jovem de apenas 17 anos respondeu: "Não há problema, treinador".

Na tarde seguinte, Buffon jogou uma das mais memoráveis performances de goleiros jamais vistas na Serie A, fazendo uma defesa atrás da outra, uma vez que o Parma arrancou um inexperado empate em 0 a 0, frente a uma equipe liderada por George Weah e Roberto Baggio.

No entanto, Buffon comemorou apenas depois. Mesmo quando a imprensa tentou descobrir a nova sensação, o adolescente simplesmente agradeceu a Scala e Parma pela fé que eles demonstraram sobre ele.

"Era como se ele tivesse feito a coisa mais normal do mundo. Como se não tivesse percebido o que tinha feito", revelou o ex-companheiro de equipe, Alessandro Melli.

Apesar do fato de que Buffon se tornaria o goleiro mais caro da história quando saiu do Parma para a Juventus em 2011 e depois venceu a Copa do Mundo com a Itália cinco anos depois, ele nunca perdeu a humildade.

Quando a Juve foi envolvida no escândalo "Calciopoli", o atleta rejeitou as ofertas da Inter, Milan e Arsenal: "Se eu me tornei campeão mundial, foi graças à Juventus. Eu posso lidar com um ano na segunda divisão e vou olhar para fazer algo, conquistando o título da Série B".

Um homem de palavra, Buffon tornou-se uma chave importante no triunfante retorno  da equipe à primeira divisão. Sua lealdade nunca foi, e nunca será, esquecida pelos torcedores. Ele nunca esqueceu de onde vem.

É por isso que ele fez questão de fazer referência ao Parma na sessão de perguntas e respostas acima mencionada. É por isso que ele investiu dinheiro em sua cidade natal. E também é por isso que ele cumprimentou Federico Bernardeschi como um irmão quando seu companheiro Carrara foi convidado para treinar com a equipe italiana.

"Ele me abraçou duas ou três vezes. Foi uma grande sensação. Eu tinha arrepios", disse a estrela da Fiorentina ao Gazetta dello Sport.


 

Esses atos de bondade e generosidade são admiráveis, mas de acordo com o ex-jogador do Milan, Giovanni Galli, esses atributos são fundamentais para Buffon. Quando perguntado no início deste ano o que distingue o italiano dos outros jogadores, ele foi direto: "Seu caráter, que é a coisa mais importante para um goleiro".

Certamente, quando Buffon estava no Parma, Scala, Melli e outros notaram uma maturidade que desmentia sua idade. No entanto, hoje em dia, o treinador da Juve, Massimiliano Allegri, elogia regularmente o goleiro por manter o entusiasmo de um jovem, acreditando que foi fundamental a capacidade para manter tal excelência no campo nas últimas duas décadas.

É por esta razão que ele é um ícone para tantos. O ex-meia da Juve, Paul Pogba, admitiu que durante o seu primeiro ano em Turim, percebeu como o goleiro treinava com paixão e como a dedicação é importante para chegar ao topo. 

Neymar no ano passado também confessou que costumava escolher a equipe italiana quando joga Playstation apenas para poder jogar com Buffon.

É o respeito dos seus rivais que é mais revelador. No entanto, o goleiro alegou humidelmente que Iker Casillas é o maior arqueiro de sua época. Fato negado pelo próprio espanhol: "Qualquer um da minha geração que sonhava em se tornar goleiro, tinha como objetivo imitá-lo".

Há coisas que Buffon conseguiu, que provavelmente, nunca será emulado. Marcas que nunca serão apagadas. Em 20 de março deste ano, em um derby contra o Torino, o capitão passou Sebastiano Rossi, registrando 929 minutos sem sofrer um gol na Série A. Finalmente ele foi derrotado, embora por uma penalidade, aos 973 minutos depois de ter pego pela última vez a bola de sua rede.

É uma conquista notável, mas talvez o fato de ter ultrapassado o recorde de 903 minutos de Dino Zoff no fim de semana anterior foi ainda mais simbólico, já que é com o capitão da Copa do Mundo de 1982 que Buffon é tão frequentemente comparado. "Dois líderes absolutos. Homens que orientam toda a equipe".

Buffon teve os seus altos e baixos, o mais infame em 2013, quando Franz Beckenbauer rotulou-o de "pensionista" depois de um erro que custou caro na derrota da Juve nas quartas de final da Champions League no Bayern de Munique. No entanto, aqui está ele, mais uma vez o goleiro número 1 do mundo, o mais alto classificado goleiro na lista da Goal 50 deste ano.

Sua excelência sustentada é verdadeiramente espantosa. David Trezeguet argumenta: "Ele é o melhor goleiro de todos os tempos. Não vejo ninguém que tenha tido a continuidade que Buffon teve nos últimos 20 anos. Ele ainda segue um nível alto apesar dos 38 anos, é realmente notável. Não posso explicar como ele faz isso".

Enquanto isso, o treinador do Chelsea Antonio Conte admitiu: "Encontrar as palavras para descrever Gigi é difícil".

Mas então por que se preocupar? Como Buffon provou mais uma vez nos últimos 12 meses, ações falam muito mais alto do que palavras".