Prêmio Craque Brasileirão, a grande festa do país do futebol pentacampeão do mundo

Campeões do mundo de 1958 são aclamados na noite do Viva Rio. Hernanes é o Craque, e Muricy, o melhor técnico

O Prêmio Craque Brasileirão, em 2008 na sua quarta edição consecutiva, se transformou definitivamente na grande festa do país do futebol pentacampeão do mundo. O grande dia da consagração dos melhores do Campeonato Brasileiro começou já no final da manhã desta segunda-feira com a chegada dos jogadores campeões do mundo de 1958 que estavam em São Paulo ao Hotel Novo Mundo, na Praia do Flamengo, no Rio de Janeiro.

Bellini, Zito, Dino Sani, Pepe e Moacir, acompanhados dos familiares, reuniram-se para o almoço e foi formada uma grande roda de conversa. Casos, lembranças da época, muitas brincadeiras em um clima de companheirismo deram o tom do reencontro..

Durante a tarde, também acompanhado de parentes, foram chegando os jogadores, técnicos (Vanderlei Luxemburgo, Celso Roth e Muricy Ramalho) e os árbitros indicados para concorrer ao prêmios de melhores nas categorias Ouro, Prata e Bronze.

Às 19 horas, em vários microônibus, todos se dirigiram do hotel para o Vivo Rio, a casa de espetáculos no Parque do Flamengo onde aconteceu o Prêmio Craque Brasileirão 2008.

No Vivo Rio, logo depois chegaram o técnico Dunga e o assistente técnico Jorginho e ainda os jogadores campeões do mundo de 1958 que moram no Rio de Janeiro, Zagallo e Orlando, seguidos por Pelé, que conversou com Dunga, com que posou para várias fotos - o presidente de honra da FIFA, João Havelange foi muito cumprimentado por todos.

Ao som de "Brasileirinho", foi exibido no telão um clipe com lances e jogadores do Campeonato Brasileiro de 2008. Em seguida, o são-paulino Tony Ramos e o vascaíno Marcos Palmeira deram início oficialmente  à apresentação do Prêmio Craque Brasileirão.

O presidente Ricardo Teixeira, acompanhado do ministro do Esporte, Orlando Silva, entregou a taça aos clubes campeões da Série C, Atlético Goianiense, da Série B, Corinthians, e da Série A,  São Paulo, representados por seus técnicos, capitães e jogadores.

O presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, entregou o cheque de R$ 1,5 milhão ao presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, que em seu discurso enalteceu a conquista do seu clube e elogiou o presidente Ricardo Teixeira pela organização de um campeonato brilhante.

A música "Chega de Saudade" deu o tom da homenagem que seriaa feita aos campeões do mundo de 1958, marcada pelo lindo texto do jornalista Armando Nogueira. Ainda no ritmo da bossa nova, Emílio Santiago fez o primeiro show da noite.

                                                                            Os melhores do Craque Brasileirão 2008

Tony Ramos e Marcos Palmeira deram início então à premiação dos melhores dos jogadores por posição.

Vítor (ouro), Rogério Ceni (prata) e Marcos (bronze) foram os melhores goleiros.

Leonardo Moura (ouro), Vítor (prata) e Élder Granja (bronze) foram os melhores na lateral-direita.  

Thiago Silva (ouro), André Dias (prata) e Fábio Luciano (bronze) foram os melhores zagueiros pela direita

Miranda (ouro), Ronaldo Angelim (prata) e Rever (bronze) foram os melhores zagueiros pela esquerda.

Juan (ouro), Leandro (prata) e Kleber (bronze) foram os melhores zagueiros pelo lado esquerdo.

Hernanes (ouro), Rafael Carioca (prata) e Pierre (bronze), foram os melhores volantes. 

Ramires (ouro), Guiñazu (prata) e Diguinho (bronze) foram os outros melhores volantes.

Diego Souza (ouro),  Tcheco (prata) e Ibson (bronze) foram os melhores meias pela direita.

Alex (ouro), Vagner (prata) e Lúcio Flávio (bronze) foram os melhores meias pela esquerda.

Kleber Pereira (ouro), Guilherme (prata) e Keirrisson (bronze) foram os melhores atacantes.

Alex Mineiro (ouro), Nilmar (prata) e Kleber (bronze) foram os outros três melhores atacantes.

O campeão do mundo Zagalo entregou o troféu de melhor treinador para Muricy Ramalho (ouro), seguido de Vanderlei Luxemburgo (prata) e Celso Roth (bronze). 

O diretor da TV Globo, Otávio Florisbal, entregou o Troféu Rei do Gol aos artilheiros da Série A Kleber Pereira, Keirrisson e Washington.     

Dunga e Jorginho entregaram o troféu de Revelação ao atacante Keirrisson, que foi convocados pelos dois para a Seleção Brasileira Olímpica em 2007.

Leonardo Gaciba (ouro), Leandro Vuaden (prata) e Carlos Eugênio Simon (bronze) foram os melhores árbitros.

Depois que a platéia tinha se divertido com esquetes de Luiz Salem e Luiz Miranda, os apresentadores do Fantástico, Zeca Camargo e Patrícia Poeta apresentaram os vencedores dos Troféus Bola Cheia (Diguinho) e Bola Murcha (Gustavo), entregues pelo repórter Tadeu Schmidt.

Thiago Silva foi o Craque da Galera do Brasileiro Série A 2008.

 

A torcida do Corinthians foi homenageada, e o presidente do clube, Andrés Sanches, recebeu o troféu de Melhor Torcida do ministro do Esporte, Orlando Silva.

Pelé, outro grande homenageado da noite, entregou o troféu de melhor jogador a Hernanes, o Craque Brasileirão 2008.

Chegara o grande momento da festa. Os campeões do mundo Bellini, Pelé, Orlando, Pepe, Dino, Zito, Moacir e Zagallo receberam do presidente João Havelange as medalhas relativas ao cinqüentenário da conquista de 1958 e a Comenda João Havelange. 

O apresentador Tony Ramos, que disse que muitos daqueles jogadores foram seus ídolos, estava emocionado com a homenagem. Emoção que se estendeu à platéia do Viva Rio, que em reverência aplaudiu de pé os primeiros campeões do mundo.   

O show de Jorge Benjor encerrou de maneira apoteótica a grande festa do futebol brasileiro.