Van Gaal lamenta poucas oportunidades na semifinal e reclama da disputa do terceiro lugar

O treinador acredita que tanto Holanda quanto Argentina não criaram muito no jogo e que tudo acabou sendo definido na sorte dos pênaltis

A Holanda esteve muito perto de voltar a uma final de Copa do Mundo quatro anos depois de perder o título para a Espanha em 2010. Mas o sonho do primeiro título mundial foi adiado após a derrota nos pênaltis para a Argentina. Em um jogo sem grandes oportunidades para as duas equipes e que terminou sem gols no tempo regulamentar, a estrela foi o goleiro Romero, que defendeu as cobranças de Vlaar e Sneijder.

“Em geral, eu não estou interessado no que as pessoas dizem sobre mim ou minha equipe. A questão é que você deve marcar mais do que seu adversário. Nós não criamos muito, como fizemos em todos os outros jogos. Isso diz algo sobre a Argentina, mas também sobre nós. Eles não criaram muito também e, apesar de tudo, não vimos gols”, comentou.

A eliminação surpreendeu muita gente, que considerava a única equipe na chave dos argentinos capazes de derrubá-los antes de uma eventual final. Mas depois de grandes apresentações contra Espanha, Austrália, Chile, México, além de vitória nos pênaltis sobre a Costa Rica, a Holanda não conseguiu fazer a alegria dos brasileiros eliminando a Argentina.

“Nós jogamos um torneio fantástico, como os jornalistas brasileiros disseram. Ninguém esperava pelo que fizemos na fase de grupos, e depois que nós derrotamos México, que não são fáceis de bater. A Argentina é grande país com os melhores jogadores. Pênaltis são uma questão de sorte, e eu ensinei Romero como defender pênaltis, o que dói”, disse Van Gaal, que também admitiu que colocaria o goleiro Krul se não tivesse queimado as três substituições.

Van Gaal se referiu ao período que trabalhou com Sérgio Romero no AZ Alkmaar. O goleiro argentino chegou ao clube holandês em 2007, mas teve problemas de adaptação. Até que em 2009, o treinador da Seleção Holandesa assumiu o time e deu uma nova chance ao jogador, que hoje é titular absoluto da Argentina.

Antes de voltar para casa, os holandeses têm um último compromisso na Copa do Mundo de 2014: a disputa pelo terceiro lugar, contra o Brasil. Mas se dependesse de Van Gaal, seus jogadores não iriam à Brasília para o que ele considera uma partida injusta e que pode deixá-los ainda mais tristes.

“Eu acho que isso nunca deveria ser disputado. Eu digo isso há 10 anos. Mas ainda vamos jogar, e nós temos um dia a menos para nos prepararmos, o que não é justo. O pior, porém, é que você pode perder duas vezes seguidas depois de um torneio em que você foi maravilhosamente bem. Você vai para casa como um perdedor por ter perdido duas vezes, o que não está certo”, finalizou.