R. Gaúcho cobra mentalidade ofensiva a Adilson no Grêmio

Lado direito fica defasado em relação a esquerdo porque volante não aproveita liberdade da função

Chamou atenção tamanha a quantidade de conversas que Renato Gaúcho teve no treinamento desta terça-feira com seu grupo. Antes, durante e depois do treino tático comandado por ele, reunião com os jogadores, seja titulares ou reservas. Enquanto em ação, um dos mais cobrados foi o volante Adilson. O comandante quer mais participação ofensiva do jogador.

No esquema montado por Renato Gaúcho, essa é a única lacuna que não funciona conforme o técnico quer. Quando joga-se com um meio-campo em losango, os atletas escalados na segunda linha, nos vértices laterais da 'figura', precisam atacar e defender. Pela esquerda, Lúcio consegue. Já Adilson, mais defensivo, tem limitações.

- Parei e falei com ele para que ele evolua ainda mais. No momento em que ele joga naquela posição, ele tem a liberdade de sair, porque o Fábio fica mais atrás. E ele não tem ido. Quero que ele se aproxime mais do ataque, quando ele faz gol no rachão digo, você tem que gostar de fazer gol. Ele joga atrás mas tem liberdade de chegar, ele tem que gostar de se juntar aos atacantes. Isso que eu tava conversando com ele durante o treino – explicou Renato.

Essa chegada pela direita é algo que falta ao Grêmio. Como conta com muitos canhotos – nessa quinta serão Douglas, Lúcio, Escudero e Bruno Collaço – a tendência natural é jogar pelo lado esquerdo. Renato quer variações para trazer Gabriel para a partida. O próprio lateral reconhece que falta jogadas por seu lado.

- Eu notei desde que cheguei aqui, e conversando com os companheiros, eles já me diziam que era natural o jogo sair pela esquerda pelos varios canhotos de qualidade, que acabam fazendo muitas jogadas por ali. E quando tem um apoio pela direita a gente pode equilibrar isso e fazer jogadas de gol por ali também – disse Gabriel.

Em toda a carreira profissional, Adilson tem apenas um gol com a camisa do Grêmio. Não foi um gol qualquer, mas a quantidade é o que Renato quer mudar. Em um chutaço de fora da área, no Brasileirão de 2009, contra o Grêmio Barueri, o volante acertou o ângulo de Renê e comemorou no Estádio Olímpico.