Campeonato Carioca terá parada técnica

Novidade foi anunciada por Jorge Rabello, nesta segunda feira

Nesta segunda feira, na sede da FERJ (Federação Estadual do Rio de Janeiro) foi realizado o Simpósio de Abertura do Campeonato Carioca das Séries B e C, com a presença dos representantes e dirigentes das equipes participantes. A principal novidade do evento é a parada técnica obrigatória nas duas competições, anunciada por Jorge Rabello, presidente da COAF-RJ (Comissão de Arbitragem de Futebol do Rio de Janeiro)

Tanto no primeiro como no segundo tempo de cada partida, o árbitro irá paralisar a partida, aos 20 minutos, para o técnico das equipes poderem passar instruções para os jogadores. A paralisação terá a duração de dois minutos.

- Essa regra vai ser importante. Os treinadores não vão precisar ficar gritando o tempo inteiro na beira do campo. A paralisação também vai ser fundamental para uma melhor orientação da arbiragem. Se tudo ocorrer bem, iremos implementar essa regra na Primeira Divisão de 2010 - afirmou Jorge Rabello

Além da nova regra, as competições não terão exame antidoping, devido ao alto custo financeiro para os clubes de menor estrutura. Também ficou estabalecido que em cada partida, o estádio do clube mandante terá que ter o SAT (Serviço de Atendimento ao Torcedor). Caso contrário, a equipe será declarada perdedora, com uma derrota por 3 a 0.

Na Terceira Divisão do Carioca, que começa no próximo dia 18, os jogadores terão que ter até 23 anos. Somente três atletas de cada clube poderão ultrapassar essa idade. Além disso, para cada partida terão que ser confeccionados, no mínimo, 200 ingressos que terão que ser colocados à venda com uma antecedência de 72 horas antes da partida.

Em relação à integridade física dos jogadores, se por acaso,em uma partida destas competições, não tiver uma ambulância com um médico e dois enfermeiros, o clube mandante será punido com uma multa de R$ 50 mil reais. Será necessário também laudos técnicos dos estádios que garantam a segurança do torcedor.Sem estes documentos, as partidas serão transferidas ou realizadas com portões fechados.

Sobre a punição dos jogadores, o atleta que jogar uma partida pendurado com dois cartões amarelos, e na mesma, receber o terceiro e um cartão vermelho, este vai ter que cumprir uma partida por causa do terceiro amarelo, e mais uma, pelo cartão vermelho.

Fora das quatro linhas, todos os gandulas terão que ter uma idade mínima de 18 anos e tabém haverá a presença de um assistente atrás de cada gol, para que os clubes que sonham com um lugar mais alto, não serem prejudicados por lances polêmicos nas suas respectivas caminhadas.