“Corinthians para Sempre”: Cemitério para torcedores ficará pronto até o fim de 2016

Localizado em Itaquaquecetuba, a cerca de 40 km da capital paulista, cemitério de 402 mil m² está com as obras em andamento

O cemitério do Corinthians deverá ser inaugurado até o fim do próximo ano. É isso que garante Ricardo Pólito, CEO do Grupo Memorial, parceiro do clube no empreendimento, que está sendo construído em um terreno de 402 mil m² na cidade de Itaquaquecetuba, que fica a aproximadamente 40 quilômetros de São Paulo.

Com cerca de 80 mil metros de quadras, o projeto “Corinthians para Sempre” deverá ter 70 mil jazigos e possuirá uma réplica de um campo de futebol, duas quadras fora do campo, além de salas de velório, um grande estacionamento, floricultura, lanchonete, lago e uma área de reserva natural.

“Em janeiro terminaremos a terraplanagem e, em fevereiro, começaremos as obras. Estamos prevendo a inauguração até dezembro de 2016... Além dos jazigos, ainda faremos salas de velório confortáveis, todo o serviço funeral completo, estacionamento, lanchonete e um memorial muito bacana”, afirmou Ricardo Pólito com exclusividade à Goal Brasil.


(Foto: Divulgação)

Os jazigos, com três gavetas, variam entre R$ 4.500 e R$ 7.800. De acordo com Pólito, mesmo sem divulgação, já foram realizadas aproximadamente 50 compras.

“Já vendemos cerca de 50 jazigos. Ainda não contratamos funerárias parceiras e nem fizemos divulgação. Só vamos divulgar quando as pessoas puderem ver tudo pronto. Quando o projeto saiu, o terreno ainda era mato e é desagradável você comprar algo sem saber se realmente vai acontecer”, explicou.

A iniciativa, que já existe em outros países, como na Alemanha, onde Hamburgo e Schalke 04 já possuem os seus próprios cemitérios, promete oferecer um serviço completo, com direito a execução do hino do Corinthians, painel, urna com adorno personalizado, bandeira do clube e coroa de flores artificiais nas cores branca e preta.


Schalke 04 inaugurou cemitério para torcedores em 2012 (Foto: Christof Koepsel/Bongarts/Getty Images)

“Posso garantir que ficará muito bacana. Até torcedores de outros times já brincaram perguntando se podem ser enterrados lá, porque gostaram muito do projeto”, concluiu Ricardo Pólito.

O clube de Parque São Jorge não tem despesas com o projeto que fica a cargo do Grupo Memorial, especializado no setor de mercado funerário. Os lucros serão divididos entre as duas partes em porcentagens não reveladas por questões contratuais.