Medalhão ou aposta? O dilema do Santos

Dorival Júnior e Vágner Mancini são os preferidos do presidente Modesto Júnior. Mas a efetivação de Marcelo Fernandes ganha força após vitória no clássico

A diretoria do Santos vive um pequeno dilema após a saída de Enderson Moreira. Com os cofres combalidos, quem deverá comandar o clube nesta temporada? Com uma equipe que mescla a tradicional juventude dos 'Meninos da Vila' com a experiência dos campeões de 2002, o Santos estuda dois nomes: os novos 'medalhões' Vágner Mancini e Dorival Júnior.

Ambos já fizeram bons trabalhos no Peixe e rodaram pelos principais clubes do país. No entanto, há quem pense que o Santos já está bem servido de treinador. 

Após a boa vitória no clássico de ontem (11/3) contra o Palmeiras por 2 a 1, o técnico interino Marcelo Fernandes ganhou moral. Pelo menos com o elenco e parte da torcida santista. Afinal, a equipe segue invicta no Campeonato Paulista.

O experiente atacante Robinho fez lobby pela efetivação de interino Marcelo Fernandes. O atacante da Seleção Brasileira deu o seu apoio ao treinador, que comandou a equipe em um clássico difícil na Vila Belmiro.

"Não tem que ter pressa. Estamos fazendo um bom trabalho. Respeitamos o Marcelo, ele conhece o grupo e está bem. Acho que seria melhor efetivá-lo. Ele conhece muito bem o grupo, e é querido. Mas a diretoria sabe o que faz e a gente respeita o que for decidido", declarou o atacante de 30 anos.

O Santos quer conversar pessoalmente com Dorival Júnior e Vágner Mancini. A diretoria declarou que esses são os nomes que interessam, desde que o teto salarial de R$ 200 mil mensais seja respeitado.

Por enquanto Marcelo Fernandes está mantido para o confronto contra o Marília no sábado, no Estádio Bento de Abreu. Alheio a sua possível saída, Marcelo já projeta a estreia do Santos na Copa do Brasil, na próxima terça contra o Londrina.

Para a partida contra o Marília, no próximo sábado, às 18h30, no Bento de Abreu, o interino pensa em poupar alguns jogadores já de olho na estreia do Peixe na Copa do Brasil, na próxima terça-feira, contra o Londrina.

"Os próximos jogos são com um tempo curto de descanso. Amanhã vamos fazer um exame nos atletas para saber a condição física deles. Mesmo assim o grupo todo viaja para Marília, mas a intenção é escalar o time titular contra o Londrina, na Copa do Brasil", disse na coletiva após o clássico.

Marcelo desconversou sobre a possível efetivação, mas admitiu que é o seu desejo. O treinador interino citou Oswaldo Oliveira, Muricy Ramalho e Claudinei Oliveira como os seus mentores ao longo dos últimos anos de trabalho no Peixe.

"Só por estar aqui no Santos, sou muito feliz. Ver o time pedi para eu ficar me deixa feliz também. Quero ser técnico do Santos, mas hoje sou funcionário e vou cumprir ordens", concluiu Marcelo, sem saber ainda qual será o seu futuro no clube.