thumbnail Olá,

Em jogo fraquíssimo taticamente, equipes não saem do zero e recuperação no Brasileirão é adiada

Se o San-São deste domingo, na Vila Belmiro, era para dar uma nova vida para uma das equipe após as eliminações na Libertadores, Santos e São Paulo morreram abraçados. Em um jogo absolutamente fraco taticamente, os rivais paulistas não conseguiram tirar o zero do placar.

A igualdade, de certo modo, não é boa para ninguém. O Santos, em casa, chegou ao quarto ponto na tabela de classificação em quatro jogos. O Tricolor paulista, por outro lado, segue sem conquistar sua primeira vitória no Brasileiro. Até agora são três empates e uma derrota.

A primeira etapa foi totalmente são-paulina. Melhor postado taticamente, o São Paulo não teve dificuldades em neutralizar as principais jogadas santistas. No entanto, a falta de eficiência dos atacantes acabou deixando a sensação de que poderia ter saído com um placar melhor para o intervalo. Joílson teve chance mais clara de todo os 45 minutos iniciais, mas o goleiro Fábio Costa fez excelente defesa.

Para o Santos, do interino Márcio Fernandes, restou agradecer pelo fim do primeiro tempo. Com Kléber Pereira sozinho na frente e facilmente marcado pelo trio de zaga são-paulino (Miranda, André Dias e Alex Silva), o Peixe até teve algumas oportunidades, mas nenhuma tão boa quanto as do rival.

Durante a segunda etapa, alterações importantes para dar ao jogo um pouco de técnica. No lado do São Paulo, Muricy tirou o ataque engessado, formado por Borges e Aloísio, e colocou os velozes Éder Luis e Dagoberto.

Já no lado santista, Kléber Pereira, solitário no primeiro tempo, ganhou dois parceiros de ataque: Lima e Wesley. O Peixe, aliás, foi superior com a formação e deu sufoco no adversário. Mas, assim como o rival, faltou concluir melhor ao gol.

As alterações até surtiram efeitos e as torcidas começaram a gritar mais. Mas os excessivos passes errados de ambas as partes desanimaram a todos na Vila Belmiro. Em um jogo fraco taticamente, prevaleceu a vontade, que não faltou em campo. O que faltou foram boas atuações e gols.

Eliminados da Libertadores, as equipes terão uma semana livre para trabalhar até o próximo compromisso no Brasileirão. Em casa, o São Paulo recebe o Atlético Mineiro, às 18h20min, no sábado. No dia seguinte, o Santos mede forças com o Vitória, às 18h10min, no Barradão.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 0 X 0 SÃO PAULO

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 1/6/2008 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa-RS)
Auxiliares: Evandro Silveira (SP) e Nilson de Souza Monção (SP)
Renda/Público: 7.298 pagantes/ R$ 113.800,00
Cartões amarelos: Adriano, Domingos, Wesley Marcinho Guerreiro (SAN); Hugo, Joílson, Richarlyson (SAO)
Cartão vermelho: Richarlyson.
Gols: -

SANTOS: Fábio Costa, Betão, Domingos e Marcelo; Adriano, Marcinho Guerreiro (Tiago Luís, 42'/2T), Rodrigo Souto, Molina (Wesley, 26'/2T), Tabata (Lima, 8'/2T) e Kléber; Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Alex Silva, Miranda e André Dias; Joílson, Zé Luis, Richarlyson, Hugo (Fabio Santos, 41'/2T) e Jorge Wagner; Borges (Dagoberto, intervalo) e Aloísio (Éder Luis, 27'/2T). Técnico: Muricy Ramalho.