Réver: "zagueiro-atacante" do Fla colhe os frutos de um excelente 2017

Por Raisa Simplicio

Zagueiro com o mais gols macados na história do Campeonato Brasileiro, Réver foi uma certeza em um Flamengo marcado por dúvidas na temporada 2017. Capitão e líder da equipe, ele mostrou sua importância tanto na defesa quanto no ataque: não bastasse isso, a disciplina foi outra grande virtude do jogador de 32 anos, que levou apenas dois cartões amarelos e nenhum vermelho neste campeonato.

Com cinco gols em 25 partidas (um a cada cinco jogos disputados), Réver se tornou uma arma letal do time de Reinaldo Rueda. Para se ter uma ideia, ele termina o Brasileirão com um gol a menos que Paolo Guerrero, principal atacante da equipe, e empatado na vice-liderança entre todos os defensores.

VEJA TAMBÉM: Galeria - Réver faz Brasileirão de luxo em 2017

"Réver é um líder nato, que contagia e transmite. Tem um nível altíssimo de comprometimento, agressividade. (Marcar gols) é um prêmio para ele"

Reinaldo Rueda, técnico do Fla

Titular absoluto da zaga, o rubro-negro se tornou um grande desfalque ao se lesionar no primeiro jogo da semifinal da Copa Sul-Americana contra o Fluminense, outro grande compromisso da equipe no ano. Sem ele, o Flamengo perdeu o equilíbrio defensivo e sofreu 13 gols desde a sua lesão e vive o momento mais crítico no setor em todo o ano.

A liderança, a consistência defensiva e a importante participação no setor ofensivo fizeram de Réver o melhor zagueiro do Brasileirão 2017. O Prêmio Goal Brasil coroa uma temporada importante para o zagueiro, que não fica ofuscada nem mesmo na ausência de grandes títulos do Flamengo na temporada.