Gilette Brasil Global Tour

Comandado por Neymar, Brasil tem time forte em todos os setores e chega como favorito na briga pelo título

Na última quinta-feira a Seleção Brasileira Olímpica teve seus primeiros adversários definidos na luta pela tão sonhada medalha de ouro. Na primeira fase os comandados do técnico Dunga encaram África do Sul, Iraque e Dinamarca.
 
Uma preparação maior do que a dos oponentes e o fator casa pode ser um grande diferencial para os brasileiros, que tem uma das gerações mais promissoras dos últimos tempos.
 
No possível time titular do Brasil que vai disputar os jogos, atletas que mesmo com pouca idade já são referências em suas respectivas equipes formam uma Seleção promissora e talentosa. No mesmo esquema da Seleção principal o 4-3-3 é a mais provavél formação do time olímpico, que será mais ou menos assim:
 
 
No gol, o goleiro Ederson do Benfica se destacou bastante na temporada, inclusive nos dois jogos contra o Bayern de Munique pelas quartas de final da Liga dos Campeões. O jogador mostrou que tem todo potencial para vestir a camisa número 1.
 

(Foto: Getty Images)
 
Na zaga, Miranda deve ocupar uma vaga entre os convocados acima dos 23 anos. Experiente e homem de confiança do técnico Dunga, foi o jogador que mais vestiu a amarelinha desde que o treinador assumiu o cargo.  Dória deve jogar ao lado dele, o zagueiro de 21 anos, que atualmente defende o Granada, da Espanha, apesar de pouca idade já tem bastante experiencia.
 

(Foto: Getty Images)
 
Douglas Santos do Atlético-MG deve ocupar a vaga na lateral-esquerda, o jogador do Galo foi um dos destaques do Brasileirão 2015. É rápido e ágil, tamém tem bastante facilidade para apoiar o ataque. Na outra lateral, Fabinho que já foi até convocado pela Seleção principal deve estar presente nos onze iniciais. O jogador, que atualmente defende o Mônaco fez parte do elenco brasileiro que disputou a Copa América de 2015.
 

(Foto: Getty Images)
 
O meio-campo é um dos setores onde as opções são grandes, sem dúvida cada vaga ali será muito disputada entre os jogadores.
 
Rodrigo Caio, do São Paulo aparece como provavél titular. Faz mais de uma função, pode jogar tanto na zaga como de volante e deve fazer a proteção da defesa brasileira. O jogador começou o ano muito bem com a camisa Tricolor.
 

(Foto: Getty Images)
 
Ao lado dele, Felipe Anderson, que vive bela temporada pela Lazio. O ex-santista  é um dos comandantes do time italiano e já despertou o interesse de muitos clubes na Europa. Esteve presente em quase todas as convocações da Seleção Olímpica.
 

(Foto: Getty Images)
 
Para completar o setor o jovem Matheus Sales do Palmeiras chega com bastante moral, o jogador que subiu aos profissionais ano passado teve a responsabilidade de marcar ninguém menos que Lucas Lima na final da Copa do Brasil e com sucesso impressionou a todos. Foi titular no último amistoso da equipe Olímpica.
 
No trio de ataque, Neymar é figura carimbada. Já liberado pelo Barcelona para disputar os jogos será o grande comandante da Seleção Brasileira na luta pelo ouro. O craque não esconde a vontade de vestir a Amarelinha nas Olímpias e terá ao lado um ex-companheiro de Santos, Gabigol. 
 

(Foto: Getty Images)
 
Gabriel é apontado como o grande craque da Seleção Sub-23 do Brasil, muito bem no time do Santos será o único jogador do ataque com idade Olímpica, o entrosamento com Neymar pode fazer a diferença.
 

(Foto: Ricardo Saibun/ Santos FC)
 
E para completar o time, mais um jogador da confiança do técnico Dunga. Willian deve ser o terceiro acima dos 23 anos. O jogador mais regular da Seleção principal será peça fundamental para o Brasil nos jogos. Além de atuar no ataque pode jogar mais recuado no meio-campo. Além disso, já mostrou que está muito bem entrosado com Neymar.
 

(Foto: MoWa Press)
 
Diante desses atletas percebemos uma Seleção Olímpica muito forte, com totais condições de faturar o único título que falta ao país pentacampeão do mundo no futebol.