Gilette Brasil Global Tour

Carlos Alberto Perreira treinou cinco seleções diferentes em Copas do Mundo e toda essa experiência será fundamental para o Brasil conquistar o título em casa

Carlos Alberto Parreira é um veterano em Copas do Mundo. Aos 71 anos, completados no dia 27 de fevereiro, o atual coordenador técnico da seleção brasileira participou dos principais momentos do Brasil em copas. Começou como preparador físico da seleções de 1970 e 1974, chegando ao auge da carreira com a conquista do Mundial de 1994 nos Estados Unidos.

Com um currículo de dar inveja a qualquer profissional do futebol, Parreira hoje prioriza o planejamento e é coadjuvante na preparação da equipe. Para ele, não é hora de experiências na seleção que tentará o sexto campeonato em casa.

“Nós aprontamos uma programação até o último jogo, até a final da Copa”, diz convicto.

MR COPA DO MUNDO: PARREIRA E AS COPAS DO MUNDO 
COPA DO MUNDO 1982: KUWAIT
COPA DO MUNDO DE 1990: EMIRADOS ÁRABES
COPA DO MUNDO DE 1994: BRASIL
COPA DO MUNDO DE 1998: ARÁBIA SAUDITA
COPA DO MUNDO 2006: BRASIL
COPA DO MUNDO DE 2010: ÁFRICA DO SUL

Carlos Alberto Gomes Parreira é carioca e formado em Educação Física. Começou sua carreira como treinador em 1975 pelo Fluminense (seu clube de coração) e já na década de 1980 voltou a uma Copa do Mundo, desta vez a de 1982, como técnico da seleção do Kuwait. Após treinar equipes na Espanha, Turquia, Estados Unidos e Brasil, além da seleção dos Emirados Árabes, o brasileiro se "aposentou" da profissão justamente dirigindo o time da África do Sul no Mundial de 2010. Equipe que na verdadele ele treinou em duas ocasiões.

O brasileiro aceitou o convite da Federação Sul-Africana de Futebol após a derrota dos Bafana Bafana na Copa das Confederações jogada em casa, em 2009, substituindo o compatriota Joel Santana. Na ocasião, o atual coordenador técnico afirmou que terminaria em 2010 o trabalho que havia começado em 2007.

"Eu não deixaria minha casa por qualquer coisa. Quero terminar o que comecei em fevereiro de 2007. E se eu não acreditasse que a África do Sul pudesse passar da primeira fase, porque eu voltaria? Estou cheio de confiança", disse em entrevista coletiva
após desembarcar na África do Sul há quatro anos.

Até então a África do Sul só havia disputado uma copa, a de 2002, e receber o maior torneio de
futebol do planeta encheu os Bafana Bafana de esperança. A experiência de Parreira no torneio
(ele é chamado de Mister Copa) foi decisiva para a contratação do brasileiro.

Mas, apesar do apoio de todo o país, pela primeira vez em uma Copa do Mundo o time anfitrião foi eliminado na fase de grupos. No jogo de estreia, a África do Sul empatou com o México por 1 a 1. No segundo jogo, perdeu de 3 a 0 para o Uruguai. E na última partida venceu a seleção francesa por 2 a 1. Com isso, chegou aos quatro pontos, juntamente com o México. Mesmo assim, não foi classificada, devido ao saldo de gols.

Mesmo com a eliminação, milhares de torcedores foram as ruas prestigiar o time. Fato que emocionou Parreira. Ele acredita que faltou sorte ao time, ainda assim afirmou na época " ter ficado orgulhoso por ter dado uma identidade ao time".

O próximo desafio é levar o Brasil ao sexto título, que para Parreira seria sua segunda conquista. Mesmo com tanta experiência em Copas do Mundo faz questão de dizer que jogar "em casa é diferente".

"Jogando diante da nossa torcidade temos de vencer. Só podemos pensar nesse objetivo".