Gilette Brasil Global Tour

Gillette Brasil Global Tour relembra os confrontos entre Brasil e os Bafana Bafana, que esperam conseguir a primeira vitória contra os pentacampeões mundiais

ÁFRICA DO SUL 2-3 BRASIL - 26/04/1996


Competição: Amistoso
Local:  Estádio First National Bank, Johannesburg
Árbitro: David Elleray (Inglaterra)
Gols: Masinga 25' (1-0), Khumalo 42' (2-0), Flavio 56' (2-1),Rivaldo 68' (2-2), Bebeto 86' (2-3)
África do Sul: Arendse, Motaung, Radebe, Fish, Tovey, Tinkler, Moeti (Masilela 73), Khumalo (Madigage 66), Mkhalele, Masinga, Bartlett (Stober 83)
Brasil: Dida, Zé Maria, Aldair, A. Lopes, Andre Luis, Flávio Conceição, Amaral, Jamelli (Zé Elias 46), Rivaldo, Bebeto, Sávio

O primeiro jogo entre África do Sul e Brasil foi no dia 26 de abril de 1996 na abertura do Torneio Nelson Mandela. 

A seleção brasileira chegou a Johannesburg como campeã mundial (1994) e com um npvp técnico: Zagallo que sucedeu Carlos Alberto Perreira um pouco depois da conquista do pentacampeonato nos Estados Unidos. Zagallo, bicampenão como jogador (58 e 62), voltava ao cargo de técnico da seleção depois de liderar a conquista do tri no México em 1970 e amargar uma derrota na final da Copa América de 1995. 

Os africanos, no entanto, não tomaram conhecimento do status da seleção brasileira e abriram o placar aos 25 minutos do primeiro tempo quando Phil Masinga bateu Dida ao escorar o escanteio batido por Khumalo. Zé Maria ainda tentou evitar o gol, mas não deu. Minutos depois a seleção sul africana voltou a marcar quando Khumalo acertou um belo chute na entrada da área. Na comemoração, o treinador da equipe da casa invadiu o campo correndo de braços abertos, tamanha a euforia no banco africano. 

Flávio Conceição diminuiu para os Brasil aos 10 minutos do segundo tempo. Depois de uma tabela entre Bebeto e Rivaldo, o Brasil empatou. O sonho de vitória da equipe africana acabou quando Bebeto marcou um golaço aos 41min do segundo tempo, fazendo com que Zagallo invadisse o gramado, imitando os gestos do técnico sul africano. 

BRASIL 2-1 ÁFRICA DO SUL - 17/07/1997


Competição: Amistoso
Local:  Estádio Ellis Park, Johannesburg
Árbitro Alucios Sesikwe (Botswana)
Gols: Romario 11' (0-1), Bebeto 38' (0-2), Mkhalele 77' (1-2)
África do Sul: Andre Arendse, Sizwe Motaung, Marc Fish, Lucas Radebe, Neil Tovey - Willem Jackson (Helman Mkhalele), John Moeti (Brendan Augustine), Eric Tinkler (Dumisa Ngobe), Doctor Khumalo - Phil Masinga, John Moshoeu (Pollen Ndlanya).
Brasil: Dida, Zé Maria, Aldair (Gonçalves), Júnior Baiano, Zé Roberto, César Sampaio, Dunga (Russo), Rodrigo Fabri, Denílson, Bebeto (Doriva), Romário

A seleção brasileira retornou a Johannesburg em 1997, meses depois de Edmundo, Ronaldo e Zé Roberto terem garantido ao Brasil uma vitória por 3-1 sobre a Bolívia, em La Paz, conquistando a quinta Copa América da seleção.

Zagallo venceu toda a desconfiança da torcida e da imprensa e com a conquista do torneio, seguia confiante para treinar a seleção na Copa do Mundo de 1998. A seleção da África do Sul ainda tinha no elenco vários jogadores que participaram do último amistoso contra o Brasil e muitos nao escondiam o desejo de "vingar" a derrota no último minuto. 

Mas desta vez foi o Brasil que abriu o marcador. Romário abriu o placar depois de uma arrancada do meio campo e uma tabela com Bebeto. Os dois reviviam a famosa e vitoriosa dupla da Copa do Mundo de 1994, quando juntos marcaram oito gols. A seleção ampliou o placar com Romário retribuindo o passe de Bebeto e deixando o companheiro livre parar marcar o segundo gol do Brasil. 

Helman Mkhalele deixou sua marca após falha do zagueiro Gonçalves. O gol, porém, não ameaçou a vitória brasileira. 

Na Copa do Mundo de 1998, a África do Sul foi eliminada ainda na fase de grupos, apesar de ter perdido apenas um dos três jogos disputados. Já a seleção brasileira perdeu a final para a França 3-0. 


BRASIL 1-0 ÁFRICA DO SUL - 25/06/2009


Competição: Copa das Confederações
Local: Estádio Ellis Park , Johannesburg
Árbitro: Massimo Busacca (Suíça)
Gols: Dani Alves 88' (1-0)
Brasil: Júlio Cesar, Maicon, Lúcio, Luisão, Andre Santos (Dani Alves), Gilberto Silva, Felipe Melo, Ramires, Kaka, Robinho, Luis Fabiano (Kelberson)
África do Sul:
Itumeleng Khune, Siboniso Gaxa, Aaron Mokoena, Matthew Booth, Tsepo Masilela - Benson Mhlongo, Kagiso Dikgacoi, Teko Modise (Katlego Mashego), Steven Pienaar (Elrio van Heerden), Siphiwe Tshabalala (Katlego Mphela

Depois de dois jogos em datas próximas, Brasil e África do Sul levaram 12 anos para se reencontrar, desta vez em uma competição oficial.

Os dois times retornaram ao Estádio Ellis Park, porém cm a vitória valendo a classificação para a final da Copa das Confederações. O Brasil se classificara para o torneio após a conquista da Copa América de 2007 e a África do Sul garantiu a vaga por ser sede da Copa do Mundo de 2010.

O Brasil vinha embalado para a competição após uma boa participação no torneio da Conmebol, mostrando o estilo "dunga de jogae, com um contra-ataque mortal. Na primeira fase da competição em solo sul africano a seleção brasileira conseguiu boas vitórias, enquanto a equipe sul africana ficou com o segundo lugar do grupo A, atrás da Espanha.

O jogo, contudo, foi complicado para o Brasil e com 0-0 no placar, a partida foi para a prorrogação. O gol que deu a classificação para o Brasil saiu de uma falta perfeitamente batida pelo lateral Daniel Alves, que entrara na partida minutos antes. 

O Brasil terminou conquistando o título do torneio após vencer na final a seleção dos Estados Unidos por 3-2. Já a África do Sul ficou em quarto lugar, após perder por 2-0 para a Espanha. 

BRASIL 1-0 ÁFRICA DO SUL - 07/09/2012


Local:  Estaádio do Morumbi, São Paulo
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Gols: Hulk 74' (1-0)
Brasil: Diego Alves, Dani Alves, Dedé, David Luiz, Marcelo (Alex Sandro), Rômulo (Paulinho), Ramires, Lucas Moura (Jonas), Oscar, Leandro Damião (Hulk), Neymar (Arouca)
África do Sul: Itumeleng Khune, Siboniso Gaxa, Siyabonga Sabgweni, Bongani Khumalo, Punch Masenamela - Kagiso Dikgacoi, Leratu Chabangu (Reneilwe Letsholonyane), Thulani Serero (George Maluleka), Dean Furman (May Siphiwe Mahlangu), Siphiwe Tshabalala - Dino Ndlovu (Benni McCarthy) (Bernard Parker)

Depois de três jogos na África do Sul, os Bafana Bafana vieram até o Brasil enfrentar a seleção brasileira, três anos após a derrota na Copa das Confederações. 

O técnico era Mano Menezes, que substituiu Dunga após a eliminação da equipe na Copa de 2010, diante da Holanda (2-1). Depois de um começo animador com Mano Menezes, o Brasil tropeçou na Copa América de 2011 e precisa de uma vitória para recuperar a confiança. Afinal, o time havia perdido para o Uruguai em uma disputa por penâltis onde todos os jogadores desperdiçaram suas cobranças. 

A seleção brasileira passava por um momento de transição e Mano escolhia novos jogadores para vestir a Amarelinha e formar um grupo. A África do Sul também passava por mudanças. Tinha um novo técnico Gordon Igesund e o desafio de reconstruir a equipe após a Copa de 2010. 

O Brasil foi melhor durante boa parte da partida, criando várias chances de gol. A vitória chegou com a entrada em campo de Hulk, que marcou nos 15 minutos finais de jogo.