Zeca chora, diz que mãe foi ameaçada de morte e declara que não volta mais para o Santos

CompartilharFechar Comentários
Lateral-esquerdo, que move processo contra o Alvinegro praiano, concedeu entrevista coletiva nesta sexta (9)

O lateral-esquerdo Zeca resolveu quebrar o silêncio e convocou uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (9) para falar sobre o processo que move contra o Santos e também sobre o seu futuro no futebol já que não atua há praticamente quatro meses, ou mais precisamente, 110 dias.

O jogador, que chegou a chorar ao dizer que sua mãe sofreu ameaças de morte, ressaltou que não voltará a jogar mais com a camisa do Santos. No fim de 2017, Zeca obteve na Justiça uma liminar para rescindir seu vínculo. O Peixe, por sua vez entende que qualquer clube interessado no atleta deva dar garantias que cubram a multa.

“Eu não volto mais (ao Santos) por todo o que já aconteceu. A Justiça vai ser feita, estou do lado certo”, afirmou.

Zeca - Santos - 08/2017
(Foto: Ricardo Saibun/Santos FC)

“Não gosto nem de falar. Minha mãe tem um problema psicológico. Eu sempre disse que entrei no futebol para ajudar minha família. Não entrei para trazer problema para a minha família, mas eu estava trazendo. Minha mãe tem esse problema toma remédio controlado, mas ela estava sem tomar remédio há três dias”, completou.

Zeca também deixou claro a sua irritação com as declarações do presidente José Carlos Peres, que disse que o jogador seria aceito de volta se pedisse desculpas.

“Me surpreendeu (a declaração de Peres). Ele tinha de ter outra atitude, ter procurado meus empresários, não dar pancada e fazer coisas para me prejudicar. Estou treinando todos os dias. Sobre voltar ou não é com os meus empresários. Voltar ao Santos não cabe a mim mais. Por tudo que aconteceu. Se a Justiça é feita honestamente, se Deus quiser vai dar tudo certo”, declarou.

“O presidente fala que eu devo desculpa ao elenco. Se eu devesse, eu já tinha ligado e pedido. Estou num grupo (de WhatsApp) com amigos do Santos, falo com eles diariamente. Sou amigo de todos. Todos gostam de mim. Gosto de treinar, chegava uma hora antes. Todos estão do meu lado”, acrescentou.

Zeca Santos Atlético-MG 16092015
(Foto Ricardo Saibun/Santos FC/Divulgação)

O jogador ainda lembrou que chegou a ser agredido no aeroporto e que o clube da baixada ainda lhe deve dinheiro.

“O Santos me deve dinheiro de luvas que foram combinadas, salários do FGTS. Perante leis é o dinheiro, mas o coração da pessoa fala mais que o dinheiro. Tenho dignidade de trabalhar com segurança. Sou um ser humano normal, como qualquer um. Tem muitas coisas atrasadas. Outros jogadores já entraram na Justiça e ganharam. A partir do momento que se deu a agressão, a ameaça, o envolvimento da família foi o estopim. Quem quebrou tudo foram eles”, finalizou.

Próximo artigo:
O valor de Lionel Messi: quanto ganha e qual o patrimônio do argentino
Próximo artigo:
Quanto tempo o Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil ficam pausados pelo Mundial
Próximo artigo:
Quais foram os melhores jogadores das Copas do Mundo?
Próximo artigo:
Treinador compara Cristiano Ronaldo e Messi a Lennon e McCartney
Próximo artigo:
Rússia 2018: a Copa do Mundo dos gols contra
Fechar